sábado, dezembro 29, 2012

Tertúlia BD de Lisboa - 343º Encontro - 1 Jan. 2013



Eduardo Teixeira Coelho vai ser alvo de uma homenagem póstuma na Tertúlia BD de Lisboa, no dia 1 de Janeiro de 2013, com a presença de sua filha Marina Teixeira Coelho.


Autor de BD de prestígio internacional, Eduardo Teixeira Coelho (nascido em Angra do Heroísmo, Ilha Terceira, Açores, a 4 de Janeiro de 1919, falecido em Florença, Itália, em 31 de Maio de 2005) foi galardoado no estrangeiro e em Portugal como reconhecimento da qualidade excepcional na generalidade da sua participação na banda desenhada. 

Em Itália, quando já residia em Florença, foi distinguido em 1973 com o troféu Yellow Kid pelo júri do Salone Internazionale dei Comics, del Cinema d'Animazione e dell'Illustrazione, de Lucca (Itália), o evento de BD pioneiro na Europa.

A partir dessa primeira distinção, Eduardo Teixeira Coelho (ou Eduardo Coelho, ou E.T.Coelho, ou simplesmente ETC) teve o seu talento também reconhecido em França (onde em muitas bandas desenhadas para a revista Vaillant usou o pseudónimo Martin Sièvre) em que foi nomeado no Festival International de Bande Dessinée d'Angoulême para atribuição, no ano de 2005, do prémio "Património da BD".

Em Portugal, em 1986, foi galardoado com o troféu "O Mosquito" pelo Clube Português de Banda Desenhada (Lisboa), e em 2005 foi-lhe atribuído o Prémio Especial pelo portal de internet Central Comics (Porto).
Em 2013, em Janeiro, mês do seu nascimento, é-lhe atribuído o Diploma de Honra, a título póstumo, pela Tertúlia BD de Lisboa, galardão entregue a sua filha Marina Teixeira Coelho. 


Imagens que ilustram o presente "post"

No topo:

Imagens 1, 2 e 3 - 6 pranchas de BD, da autoria de ETCoelho, dedicadas ao conto de Eça de Queirós. "O Tesouro", publicadas duas a duas na revista "O Mosquito", respectivamente nos números 1375 (27 Agosto 1952), 1377 (3 Setembro 1952), 1380 (13 Setembro 1952)

Imagem 4 - Foto de Eduardo Teixeira Coelho

Imagem 5 - Diploma que vai ser entregue a Marina Teixeira Coelho, filha do autor, representante da família.

Em baixo:

Imagem 1 - Capa do catálogo do Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora/2005

Imagens 2,3,4,5,6,7,8 - Páginas 113 a 119 do Catálogo
------------------------------------------------------------------------------- 




Capa do catálogo do Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora/2005, em que foi publicado um artigo de estudo acerca do autor Eduardo Teixeira Coelho e da sua obra, escrito por este bloguista.
O artigo poderá ficar legível clicando-lhe em cima e tornando a clicar quando aparecer um ícone com o formato de lente.







-----------------------------------------------------------------------------

Lista de presenças neste 342º Encontro (Especial) da TBDL

(Lista elaborada a posteriori e susceptível de ter falhas; por isso agradeço que quem notar alguma, envie comentário):



1.Álvaro
2.António Isidro
3.Fernando Martins
4.Geraldes Lino
5.Helder Jotta
6.Inês Ramos
7.Machado-Dias
8.Moreno
9.Pedro Bouça "Hunter"

10.Pedro Massano
11.Sá-Chaves, João Paulo

-----------------------------------------------------------------------------
Os visitantes interessados em ver as anteriores postagens deste tema poderão fazê-lo clicando no item Tertúlia BD de Lisboa, incluído em rodapé 

quinta-feira, dezembro 27, 2012

Cadáver Esquisito ou Comic Jam (nº 48)


Afinal de contas, a presente postagem representa uma espécie de "Ecos da Tertúlia BD de Lisboa". Sim, porque o "cadáver esquisito" que se vê aqui por cima, foi feito no "Encontro Especial de 21 de Dezembro de 2012", e os motivos (risíveis, quase pueris) são do conhecimento geral.

Mas como estávamos todos juntos (dois "posts" abaixo estão os nomes dos 38 bedéfilos participantes), dispostos a brindar com um vulgar vinho espumante a chegada da meia-noite e o hipotético fim do mundo, aproveitei para organizar o habitual "comic jam".

Acho que vale a pena apreciar em pormenor o resultado gráfico dessa banda desenhada, feita de improviso, entre as 21h e as 24h, pelos seguintes ilustradores/autores de BD:

1. Jorge Coelho
2. Pepedelrey
3. Álvaro
4. José Lopes
5. Ricardo Leite
6. Pedro Massano
--------------------------------------------------------------------------
Os visitantes interessados em verem os 48 "posts" anteriores deste tema, poderão fazê-lo com um simples clique no item Comic Jam visível no rodapé

segunda-feira, dezembro 24, 2012

BD Portuguesa em revistas não especializadas (XLIX) - Revista CAIS








Compro sempre, há anos, a revista Cais. Merecem-me consideração as suas finalidades altruístas, mas também a acompanho mensalmente por saber que - no início da publicação, de forma esporádica, agora já com regularidade - há bandas desenhada nas suas páginas.

Recentemente, André Oliveira ficou a tomar conta do espaço dedicado à BD, duas páginas, mais uma tira tipo bd/cartune. E sendo essencialmente argumentista, apoia-se em gente com talento para o desenho, que transforma os seus argumentos em bandas desenhadas curtas, de duas pranchas.

Mas desta vez, no nº 178/Novembro 2012 (em cima, a reprodução da capa), aconteceu a novidade: com desenhos sequenciais de Joana Afonso, foram publicadas duas pranchas da bd "Se Vale a Pena", uma história localizada em Lisboa, com a surpresa de aparecer no fim da segunda página a tradicional frase das bandas desenhadas não auto-conclusivas, "continua no próximo número".

Esperei pela edição deste mês de Dezembro, para ler/ver a continuação ou a finalização daquele episódio, onde um ancião chamado Nicolau - popularizado pelo nome de "Pai Natal" - se queixa da dureza dos tempos que correm.

Apesar disso, umas castanhas quentes e doces dão alento - na conclusão simples desta história - para valer a pena continuar a enfrentar as dificuldades.
-----------------------------------------------------------------------------
Os visitantes do blogue interessados em ver as 48 postagens anteriores desta rubrica, poderão fazê-lo clicando no item Banda Desenhada portuguesa em revistas não especializadas em BD, inserido no rodapé

sexta-feira, dezembro 21, 2012

Tertúlia Especial de Fim-do-Mundo


 

Nós, amantes da banda desenhada, estamos hoje, dia 21-12-2012, na Tertúlia BD de Lisboa, para testemunharmos, à meia-noite, da veracidade da profecia registada no calendário solar da civilização Maia.

Como é habitual, mensalmente, encontramo-nos em pleno Parque Mayer - no restaurante da Dona Gina -, onde gozamos do privilégio de termos todo o espaço só para nós.

Mais um convívio bedéfilo que, desta vez, tendo início às 21h (em vez das 20h habituais) se prolongará até à meia-noite, hora a que faremos um brinde simbólico, como prova de que a comunidade bedéfila participa alegremente no momento profetizado de "fim do mundo", encarando-o ao nível de uma mera banda desenhada de ficção mais ou menos científica.

Mas se o céu nos cair, de facto, sobre a cabeça, ficaremos a saber que a profecia era verdadeira.

Caso contrário, concluiremos (confirmaremos) que era uma treta dos antigos maias, apenas boa para justificar esta brincadeira colectiva. E a história continua no próximo número...

O encontro inicia-se pelo jantar,como não poderia deixar de ser - vamos esperar pelo fim do mundo de barriga cheia :-)

A seguir efectuar-se-á, também como é tradição, um "cadáver esquisito" ou "comic jam", com a participação de seis dos autores de BD presentes (e espero que não falte um dos nomes importantes da BD em Portugal), e o Sorteio Interactivo de Banda Desenhada (interactivo porque as peças sorteadas - álbuns, revistas, fanzines, desenhos originais - são oferecidas pelos participantes). No fim, são alguns deles os próprios contemplados.

Há uma edição especial do Tertúlia BDzine (nº 173, datado de 21-12-2012, que será distribuído por todos os presentes pelo próprio autor, a contra gosto, mas é da praxe) com uma bd de Álvaro (o Santos que faz BD, não confundir com algum político), intitulada "A Peste, a Guerra, a Fome e a Morte", título apropriado para justificar uma cena apocalíptica, à maneira do Álvaro (arquitecto, autor de BD, não confundir, repito), em que não podiam faltar bailarinas de "table dance"...
------------------------------------------------------------------------------
A banda desenhada "A Peste, a Guerra, a Fome e a Morte", da autoria de Álvaro, é a que ilustra o topo deste "post" 
-------------------------------------------------------------------------------

Lista de presenças neste 342º Encontro (Especial) da TBDL

(Lista elaborada a posteriori e susceptível de ter falhas; por isso agradeço que quem notar alguma, envie comentário):


1.Abílio Pereira
2.Adelina Menaia
3.Álvaro
4.Ana Saúde
5.Ana Vidazinha
6.Baptista Mendes
7.Cátia Alves
8.Clara Queiroz
9.Cristina Amaral
10.Cristina Orrico
11.Geraldes Lino
12.Hugo Teixeira
13.Inês Ramos
14.Joana Andrade
15.João Amaral 
16.João Figueiredo
17.Jorge Coelho
18.José Abrantes
19.José Lopes
20.José Pinto Carneiro
21.Manuel Valente
22.Miguel Ferreira
23.Milhano
24.Moreno
25.Nuno Amado "Bongop"
26.Nuno Duarte "Outro Nuno"
27.Nuno Neves "Verbal"
28.Olivier
29. Paulo Marques "Estranho"
30.Pedro Bouça "Hunter"
31.Pedro Massano
32.Pepedelrey
33.Ricardo Leite
34.Rui Domingues
35.Sá-Chaves, João Paulo
36.Sandra Oliveira
37.Vasco Câmara Pestana
38.Victor Jesus


-------------------------------------------------------------------------------

Os visitantes interessados em ver as anteriores postagens deste tema poderão fazê-lo clicando no item Tertúlia BD de Lisboa, incluído em rodapé    

quarta-feira, dezembro 19, 2012

Autógrafos desenhados (XXI) - Eugénio Silva


Este é o primeiro autógrafo completado com desenho que obtive de um autor português de banda desenhada, o conceituado Eugénio Silva.
O aspecto curioso deste meu início de coleccionador da especialidade é que o autógrafo sobre desenho improvisado foi efectivado no estrangeiro, em Itália, onde Eugénio Silva, José Garcês e eu fazíamos parte da comitiva portuguesa liderada por Vasco Granja. Estávamos a participar no mais famoso evento dedicado à BD na época, o Salone Internazionale dei Comics, del Cinema d'Animazione e dell'Illustrazione, que se realizava na cidade italiana de Lucca, e que atingia em 1980 a sua 14ª edição.

A nossa impressão sobre o evento, o Salão BD, o primeiro que conhecíamos (aliás, eu já lá tinha estado em 1978 e 1979) era entusiástica: o local físico, ainda com edifícios medievais, rodeado de muralhas, tinha indiscutível fascínio; e o contacto informal com grandes nomes da banda desenhada internacional (Pratt, Moebius, Manara, Arturo del Castillo, Quino, Breccia - Henrique, o filho, infelizmente não conheci o patriarca Alberto) era algo indescritível.

Memórias indeléveis...
..................................................................................

Eugénio Silva

Síntese biobibliográfica

Eugénio Rafael Pepe da Silva, 25 de Fevereiro de 1937, Barreiro. Curso de Desenhador-Gravador-Litógrafo obtido na Escola de Artes Decorativas António Arroio.

Publicou a sua primeira banda desenhada, "Amoni", em 1965, no suplemento Nau Catrineta, do jornal Diário de Notícias.

De 1967 é o invulgar livro escolar para a 3ª clase "Lições de História Pátria", todo à base de bandas desenhadas curtas, de duas páginas cada.

Em 1970 fez uma bd intitulada "A Gruta dos Três Irmãos", publicada nesse ano pela revista Pisca-Pisca, republicada pelo jornal Expresso (1987) e no fanzine Cadernos da Sobreda BD (1996).

"História Pequena do Vidro" é o título de um livro de divulgação, em banda desenhada, encomenda de uma fábrica vidreira em 1982. Como primeiro álbum de BD de cariz profissional foi "Matias Sandor", adaptado em bd a preto e branco da obra homónima de Julio Verne, em 1983.

"Eusébio, Pantera Negra", biografia em banda desenhada, a cores, do famoso futebolista português, foi o grande sucesso da BD nacional em 1990.

Teve em 1991 a sua primeira colaboração no estrangeiro, no álbum colectivo de carácter didáctico, "On a Retrouvé la Forêt Perdue", para o qual colaborou com um dos episódios.

Sob argumento de Jorge Magalhães, realizou o conto "O Coelho Branco", numa obra colectiva intitulada  "Contos das Ilhas", em que participaram também José Garcês, Catherine Labey e Carlos Alberto, em edição datada de 1993, sob chancela da ASA.

Eugénio Silva esteve contratado pela editora Meribérica-Liber, entre 1989 e 1991, período em que executou em BD a obra "Inês de Castro", mas que apenas foi editada em 1994.

"Família Ideal - O Sonho do Rapaz da Boina" é um álbum encomendado pelas Edições Paulinas em 1999.

É na área das monografias sobre terras portuguesas que este banda-desenhista (também pintor) tem tido actividade nestes últimos anos: "História de Seia" (1999) e "História do Concelho do Seixal" (2004), são os títulos.

Invulgar na sua bibliografia é a adaptação à BD da peça teatral de Henrique Lopes de Mendonça, "O Crime de Arronches", em 2009.

Em 2011 foi  escolhido, como autor de BD português, para inaugurar, com uma colectânea de bandas desenhadas suas, o "Museu de Banda Desenhada" em Bucareste, Roménia.

Está finalmente em fase de acabamento, a adaptação em banda desenhada da personagem "José do Telhado", de que a data do desenho autografado que ilustra o presente "post" denuncia a longuíssima elaboração.    

--------------------------------------------------------------------------
Os interessados em ver as 20 postagens anteriores deste tema (onde se incluem grandes nomes da BD, tais como Joe Kubert, Aragonés, John Buscema, Manara, Mordillo, Moebius, Neal Adams, Quino, Solano López, Juan Zanotto, Rick Veitch, entre vários outros), poderão fazê-lo clicando no item Etiquetas: Autógrafos desenhados inserido no rodapé.

segunda-feira, dezembro 17, 2012

Capa de revista estrangeira










Bolland, Brian Bolland. Um daqueles artistas superlativos na área da banda desenhada. Em tudo o que faz - e é pena que já faça muito pouco na BD - deixa a marca inconfundível do seu singularíssimo talento.
O que acontece na capa desta revista, sequela da obra "Fábulas" ("Fables") intitulada "João das Fábulas" (edição brasileira), em que Bolland cria uma invulgar capa desenvolvida em três pranchas, uma curta - mas de grande qualidade - malha sequencial.
Lamentavelmente, este eminente grafista não participa na banda desenhada incluída no miolo, "apenas" faz esta capa em três andamentos.

(Devo dizer que não me agrada repetir temas desenvolvidas noutros blogues, como é o de mostrar capas de revistas. Mas neste caso não resisti a registar uma pequena obra de nível tão especial, de um criativo que tanto admiro há longo tempo).

--------------------------------------------------------------

BRIAN BOLLAND

Síntese biobibliográfica


Brian Bolland, 26 de Março de 1951, Butterwick, Lincolnshire, Inglaterra.

A sua incursão inicial na banda desenhada teve a ver com uma versão paródica para adultos da obra de Winsor McCay, "Little Nemo in Slumberland", intitulada "Little Nympho in Slumberland".

Tanto o entusiasmou a experiência gráfica que até a continuou a produzir num fanzine seu, cujo título era já todo um teaser: "Suddenly at 2 o'clock in the Morning", fanzine esse que se manteve a editar ao longo da sua permanência na London's Central School of Art and Design. Estava-se em 1973.

Uma das suas primeiras tarefas profissionais já como autor de BD, em 1975, foi desenhar, em parceria com Dave Gibbons, um super-herói negro que se apresentava como "Powerman", para ser distribuído na Nigeria. Na publicação posterior no Reino Unido, foi rebaptizado como "Powerbolt".

Bolland foi um dos desenhadores mais apreciados entre os diversos que têm trabalhado na série Judge Dredd.

Outra das suas essenciais participações enquanto artista-desenhador de BD foi em "Batman: The Killing Joke", sob argumento de Alan Moore.

Entre 1982 e 1985 teve um dos momentos mais representativos do seu talento gráfico, na obra "Camelot 3000", em equipa com o argumentista americano Mike Barr.

sexta-feira, dezembro 14, 2012

Feiras BD (V)



Feira Laica é um título forte, invulgar, que diz muito a todos quantos se interessam por eventos independentes, que abarquem publicações alternativas como é o caso dos fanzines de banda desenhada.

2012, Dezembro, 15 e 16, Sábado e Domingo, são os dois últimos dias da Feira Laica Internacional, na sua 21ª edição. É o adeus definitivo de um evento abrangente, que durante as suas duas dezenas de edições deu a primazia às edições independentes, em especial aos fanzines de BD, Ilustração, Poesia, e também álbuns de banda desenhada.

Marcos Farrajota e José Feitor foram os criadores e impulsionadores deste evento ímpar em Portugal. Cansaram-se, ao fim de todos estes anos, de organizarem e não gozarem plenamente a sua feira: os concertos faziam-se, e eles não podiam ficar a usufruir a música, os filmes eram projectados, e tanto o Farrajota como o Feitor não os podiam ficar a visionar, porque as várias tarefas exigiam a presença deles.

E assim finda esta singular iniciativa, que teve vários poisos, mas com Lisboa e Porto como sendo os principais.
Nesta última realização, o citado duo da Feira Laica Internacional esmerou-se, mais do que sempre lhes foi habitual. O programa inclui uma forte componente mercantil, com grande número de editores amadores/independentes/alternativos, como se pode observar na lista abaixo elaborada pelos organizadores:      

Editores presentes: Associação Chili Com Carne, Bazar do Diabo, Cafetra Records, Canto do Baú, Carapau Amarelo, CVTHVUS, Conversas, Dedo Mau, Dice Industries + Spurenelemente (Alemanha), Dildo Doodles, Ediciones Valientes (Espanha), zine É Fartar Vilanagem, El Pep, Façam fanzines e Cuspam martelos, Filipe Abranches, Geraldes Lino + Dona Zarzanga + Inês RamosGrupo Entropia, Hepta, Imprensa Canalha, Inês Almeida, INOMINÁVEL fanzine, João Machado, Jorge Oliveira, Leote Records, Lucas Almeida, Mike Goes West, Mr. Spoqui, MMMNNNRRRG, Nelson Jesus, Nicotina Zine, Oficina do Cego, Opuntia Books, Panda Gordo, Papeleiro Doido, Platypus Collective, Ricardo Castro, Rui Rafael, Senhora do Lago, Serrote, Thisco, Stepping Stone, Tonto (Aústria), Wormgod (Suécia), revista Zone 5300 (Holanda), Zulo Azul (Espanha)…

Novidades editoriais

- ***, novo baralho de Ricardo Castro
- Azul de Zebra, zine de Daniela Rodrigues
- Checkpoint (Mike Goes West), serigrafia de Marcel Ruijters
- Cleópatra #8 (Façam fanzines e Cuspam martelos), zine de BD e ilustração de Tiago Baptista
- Doom Mountain, zine de Zé Burnay
- É fartar Vilanagem #8, zine BD
- Ghostspeaker, zine de Hugo Almeida
- Idle Odalisque, zine de Matilde Sousa e João Machado
- Inferno (MMMNNNRRRG), livro de BD de Marcel Ruijters (adaptação de Dante)
- Inner Math, zine de André Pereira e João Machado
- INOMINÁVEL fanzine #3 (Vazarte e Desportivo Clube do Carmo) c/ Ana Velez, António Correia, Diana Valente, Francesco De Aguilar, João Concha, João Dias, José Lopes, Ricardo Reis, Rui Algarvio, Sira-zoé Schmidt, Sofia Morais, Sónia Rodrigues, Vanessa Machado
- O Hábito Faz O Monstro (Chili Com Carne), livro de BD de Lucas Almeida
- Love Hole (Chili Com Carne + Ruru Comix), livro de BD de Afonso Ferreira
- Mesinha de Cabeceira #23 (Chili Com Carne), edição comemorativa, vários autores
- Mr Spoqui #38 ~ plastic food, zine de vários autores
- Não Saia nem entre após aviso de fecho de portas, (Mia Soave), livro de posia de Nuno Moura com CD de Batatas Parvas, edição limitada de 50 exemplares muito manuseados
- Nicotina Zine #01, fanzine de poesia
- Banda Poética #1, fanzine de poesia e banda desenhada
- [R]Eject zine #3, fanzine de ilustração e banda desenhada
- Efeméride, #5, fanzine dedicado ao tema "Corto Maltese no Século XXI"
- Ossos do Ofício (Lucas Almeida) livro em serigrafia de livro de esboços de Bernardo Carvalho, Dalila Vaz, David Leitão, Leonor Pego, Lucas Almeida e Vanda Vilela
- Psicose (El Pep), álbum BD de Miguel Costa Ferreira e João Sequeira

Exposições

- 20 anos de Mesinha de Cabeceira, colectiva de BD, ilustrações e colagens
com trabalhos de
Pedro Brito, Marte, Arlindo Horta,
Marcos Farrajota,
André Lemos, Pepedelrey, Jucifer, José Feitor,
André Ruivo, Nunksy, Mike Diana (EUA),
João Maio Pinto, Silas,
Lucas Almeida,
Sílvia Rodrigues,
Dice Industries (Alemanha),
Monia Nilsen (Noruega),
André Coelho,
João Chambel,
Daniel Lopes,
Afonso Ferreira,
Bruno Borges,
Filipe Abranches e Crizzze.




----------------------------------------------Concertos

- Guida on Valium, Presidente Drógado (Sábado), Smiley Face, Bandeira Branca (Domingo) + emissão da Stress.fm todos os dias

---------------------------------------------------------------------------


Exibições de filmes

- Dias Contados (2012) de Renata Sancho
- Série Infinite Whistle (Europa/ EUA, 2011-12): Gotland (Suécia), Rome and the Infinite Whistle (Itália), Vantaa and the Infinite Whistle (Finlândia) e Invisible Forces (Finlândia, 2011), de Julliacks

-----------------------------------------------------------------------------
Animação infantil (das 15h às 17h)
- Contos de Fadas brilham no arco-íris (Sábado)
e
- A brincar com a luz criei uma história (Domingo)

---------------------------------------------------------------------------
2ª Mão
Livros, revistas, LPs, CDs, DVDs, etc… a preços completamente laicos de mercado e de especulação coleccionadora! Livros a 0,1 cêntimos… Não é a crise! É a loucura!!

------------------------------------------------------------------------------

FESTA de 15 Dezembro
no ADUFE BAR
com Jíboia (live act) e DJihad contra o Mundo (dj set)

-------------------------------------------------------------------------------

Última edição da Feira Laica Internacional
De 25 Outubro até 16 Dezembro.
Horário: Sábado e Domingo, das 14h às 20h
Local: Estação Elevatória a Vapor dos Barbadinhos/Museu da Água da EPAL
Rua do Alviela, 12
Lisboa

----------------------------------------------------------------------------------
Autoria das imagens que ilustram o presente "post":

1) Cartaz da Feira Laica, por Zé Burnay
2) Cartaz "Laica is dead", por Júcifer
---------------------------------------------------------------------------------

Os interessados em ver os "posts" anteriores poderão fazê-lo clicando no item
Feiras BD visível no rodapé.

terça-feira, dezembro 11, 2012

Em Elvas, um sinal visível da BD: Ateliê, workshop, palestra



Não tenho conhecimento de que em Elvas, alguma vez tenha havido um Salão de BD, nem sei se houve por lá alguma exposição de banda desenhada. Posso estar errado - teria muito gosto nisso -, e até seria bom que entupissem a caixa de comentários com informações a contradizer as minhas suposições.

Pois desta vez - seja ou não a primeira - vai haver, naquela cidade alentejana, um pequeno mas abrangente evento bedéfilo, um workshop que será constituído por duas palestras - uma sobre banda desenhada, outra sobre fanzines - e um ateliê de BD, complementado por uma exposição.
Estas actividades decorrerão na Biblioteca D. Sancho II e na Escola Secundária D. Sancho II. O workshop ocupará todo o dia 13 Dezembro, mas a exposição irá manter-se visionável durante cinco dias, de 10 a 14 Dezembro 2012.

O programa do workshop está planificado da seguinte forma:

13 Dezembro

Manhã - Inauguração da exposição BD

9.30 - Palestra sobre a linguagem da BD
por Paulo Monteiro, Director daBedeteca de Beja

10.30 - "Coffee break"

10.50 - Palestra sobre o fenómeno dos fanzines
por Geraldes Lino, autor dos blogues divulgandobd.blogspot.com
e fanzinesdebandadesenhada.blogspot.com

Tarde

14.50 Ateliê de BD com João Sequeira, autor de BD

16.10 Exposição e publicação dos trabalhos resultantes do ateliê

Os promotores desta iniciativa que envolve a BD são:
Biblioteca D. Sancho II e Esc. Sec.D. Sancho II/Elvas
Apoio do Hotel D.Luís

-----------------------------------------------------------------------------------
Quem estiver interessado em ver notícias sobre palestras tratadas anteriormente, basta clicar no item Palestras ou Conferências sobre BD visível no rodapé

 -----------------------------------------------------------------------------------
Os visitantes deste blogue que, por mera curiosidade, queiram ver os restantes trinta e quatro "posts" sobre exposições, poderão fazê-lo clicando no item Exposições BD avulsas visível no rodapé

-----------------------------------------------------------------------------------
Os visitantes interessados em ver as postagens anteriores do tema "Workshops"poderão facilmente fazê-lo. Bastará clicarem sobre o item Cursos e Workshops, visível no rodapé

segunda-feira, dezembro 10, 2012

Críticas, Notícias e Comentários sobre BD na Imprensa (XXVIII) "Tintin e Hergé (XVIII)






Um futuro para além do destino do senhor Oliveira da Figueira, é o título de um artigo de página inteira, no jornal Público (7 Dez. 2012), que remete de imediato para a banda desenhada, mais concretamente para uma caricatural personagem portuguesa pertencente à extensa e rica galeria criada por Hergé.

José Manuel Fernandes (*), o jornalista autor do artigo (que chegou a ser director do acima citado jornal), vem engrossar a numerosa lista de figuras responsáveis em diversas áreas, profissionais e políticas, que conhecem BD, são ou foram leitores de BD, e que a ela recorrem quando consideram que nela se encontram personagens ou situações exemplares para comparações com figuras públicas ou casos concretos da vida sócio-política do nosso país.

Leiamos então o excerto do artigo em que é focado o nosso imaginário compatriota:

"Os árabes chamavam-lhe o 'branco-que-vende-tudo' e Tintin comprovou-o: comprou-lhe um par de esquis, um taco de golfe, um chapéu alto, uma gaiola com um periquito e um despertador, tudo absolutas inutilidades que o deixaram imensamente feliz.
A cena passa-se no livro Os Cigarros do Faraó e o senhor Oliveira da Figueira, que mais tarde reapareceria em No País do Ouro Negro e em Carvão no Porão, é o único português a ter um lugar de destaque nas aventuras criadas por Hergé (há também um cientista português a bordo do Aurora, em A Ilha Misteriosa, mas o seu papel é irrelevante). O histriónico vendedor de bugigangas corresponde a um certo cliché do ser-se português, da generosidade à capacidade de improvisação, da lábia à errância por terras distantes, tudo construído em torno da imagem de um comerciante que até na capacidade de aculturação se revela bem lusitano. Ninguém, nem mesmo Hergé, se lembraria de retratar um português como financeiro ou industrial. (...)"   

Claro que seria necessário contextualizar este excerto para se compreender o motivo de o senhor Oliveira da Figueira ter sido trazido à colação num artigo sobre política e economia. Todavia, não seria razoável nem compreensível reproduzir num blogue dedicado à BD a totalidade da análise sócio-política do jornalista.
Mas ainda se justificará a apresentação de mais dois curtos excertos onde a personagem Hergiana é mencionada:

"(...) Para já, tudo indica que os nossos Oliveira da Figueira voltaram a demandar o mundo. Boa parte da expansão das exportações portuguesas deve-se a muitos e muitos empresários que, tendo de enfrentar a contracção do mercado interno, se viraram para o exterior e conseguiram encontrar novos clientes (...)"

"(...) Por isso, numa altura em que começa a crescer a oposição aos cortes nas despesas do Estado, chamem-se ou não "refundação", o essencial é dizer que o que não podemos suportar são estes impostos, ou o que queremos não é um IRC de apenas 10 por cento para os novos investimentos, queremos esse IRC para toda a economia, porque é ela, como um todo, que tem de competir nos mercados abertos da União Europeia e do resto do mundo.
Mas será que seremos capazes de ser mais do que desenrascados e um pouco mais sofisticados Oliveiras da Figueira do século XXI?    


(*) Jornalista. Escreve à sexta-feira no jornal Público
jmf1957@gmail.com
--------------------------------------------------------------------------

As imagens que ilustram o topo do "post" são da autoria de Antero Valério,
no episódio de bd curta, de prancha única, intitulado "A Mala Azul", que faz parte da obra de BD colectiva "Tintim no Século XXI", publicada no fanzine Efeméride, editado em Janeiro de 2009
---------------------------------------------------------------------------
Os interessados em ver as 27 anteriores postagens deste tema "Críticas e Notícias sobre BD na Imprensa (com início em 15 de Julho de 2005) do presente tema, poderão fazê-lo, bastando para isso clicar no item Etiquetas: Críticas e notícias sobre BD na Imprensa, visível aqui por baixo no rodapé

Os tintinófilos que prefiram ver os 18 artigos relacionados com o tema "Tintin e Hergé" poderão optar por clicar na etiqueta seguinte, exactamente com este título