domingo, setembro 30, 2007

Tertúlia BD de Lisboa (277º Encontro) -José Padinha, colaborador literário de "O Mosquito"

Capa do exemplar dos Cadernos de Banda Desenhada dedicado a José Padinha,
com estupenda ilustração de Eduardo Teixeira Coelho (ou E.T.Coelho, ou ETC) relacionada com uma das novelas de Padinha, Tamir, o terror do deserto

José Padinha, prolífico e talentoso novelista, foi um dos colaboradores literários de O Mosquito, popular revista de banda desenhada que se publicou entre 1936 e 1953.
Pois é este novelista, escritor tout court, o homenageado (póstumo) da Tertúlia BD de Lisboa, no seu XXII Ano, 277º Encontro, com data de 2 de Outubro (como sempre, primeira terça feira do mês).
José Manuel Padiña (*) Sacramento nasceu em Lisboa, a 26 de Setembro de 1915, e faleceu a 14 de Novembro de 1962 em Lourenço Marques (actual Maputo, capital de Moçambique)
Foi colaborador da revista infanto-juvenil O Mosquito, para a qual escreveu trinta e quatro novelas entre 1943 e 1946.
Essa colaboração foi de elevada craveira ficcional e estilística, além de abranger temas bastante diversificados, que se deduzem de alguns dos títulos: Amigo, tu vencerás, Um caçador fez testamento, Quero ser palhaço, Roubaram um bebé, Vêm ai os flibusteiros, A cidade dos músicos, A cavalgada dos gelos eternos, A ilha da tartaruga verde, Tamir, o terror do deserto, etc.
Além de prolífico a escrever ficções, foi-o também na criação de pseudónimos, os seguintes entre muitos outros: Juan L. Guancho, Peter Teneriffe (aí estão visíveis as raízes paternas) e J. Montes de Oca. Aliás, sob pseudónimo grafado de forma ligeiramente diferente (J. Montesdeoca) assinou artigos biográficos sobre autores de BD na já extinta revista Flama.
O historiador Jorge Magalhães, na edição não numerada dos Cadernos de Banda Desenhada, com o título "José Padinha - Um grande novelista d'O Mosquito" (de onde foram extraídos elementos para este texto), faz-lhe o seguinte elogio: "Pela pena de Padinha não houve nenhuma região exótica do Globo, nem nenhum tema aventuroso que não tivesse sido retratado n'O Mosquito".
Haja esperança de que o valioso espólio literário deste escritor, especializado em novelas, venha a ser renido em livro. Aqui fica a sugestão.

(*) Nome com que o apresentam os familiares. De facto, ele era filho de espanhol nascido nas Ilhas Canárias com esse apelido.
-------------------------------------------

7 comentários:

Joana Afonso disse...

Boas Tardes!
Eu queria saber mais sobre a tertúlia BD!
Nomeadamente em que restaurante se realiza!

Abraço
Joana Afonso

Geraldes Lino disse...

Olhe Joana Afonso
Não a conheço mas, sendo visitante do meu blogue, gostaria que fosse à tertúlia.
Só que eu não quero divulgar publicamente o local, para não se tornar um local onde apareça qualquer pessoa. A Tertúlia BD de Lisboa é uma iniciativa privada...
Escreva-me em correio azul, ainda hoje, para
Apartado 50273
1707-001 Lisboa
Âmanhã, 3ª feira, dia da tertúlia, já a terei recebido. Se na carta me indicar o seu nº de telemóvel, ou telefone fixo, telefono-lhe em seguida a dizer-lhe onde se realiza a tertúlia.

Joana Afonso disse...

Desculpe...
Não pude enviar a carta.. só vi a resposta agora! E hoje iniciei a faculdade!
Não haverá possibilidade de lhe fornecer o meu email com os meus dados?

Joana Afonso disse...

Tive a ler o post que escreveu a explicar melhor como funciona a Tertúlia BD!
E compreendo que não queira divulgar o seu email!
Por isso deixo aqui o meu contacto:
965751506

Joana Afonso disse...

E é assim..
Eu tenho a manhã cheia de aulas.
A minha hora de almoço é das 14hs às 16hs.

E desculpe lá a invasão do seu blog!

Geraldes Lino disse...

Cara Joana Afonso, desconhecida visitante do meu blogue:
Não tem de pedir desculpa por esse motivo, muito menos por estar interessada em participar hoje à noite na Tertúlia BD de Lisboa. Gostei até bastante da sua manifestação de interesse por esta iniciativa de convívio bedéfilo que organizo há 22 anos, e onde a presença feminina, infelizmente, é sempre reduzida.
Portanto, por esses dois motivos, principalmente (ser bedéfila e ter interesse em participar na TBDL), só tenho de regozijar-me por, através deste blogue, ter-lhe dado a conhecer a existência da tertúlia e ter-lhe suscitado interesse em participar.
Logo, entre as 14h e as 16h, à hora do almoço, como indica, telefonar-lhe-ei.
Entretanto, procure na sua faculdade o semanário gratuito Mundo Universitário (já alguma vez deu por ele?), que tem uma página de banda desenhada, por mim coordenada, com uma bd assinada por Lam (João Lam).

Geraldes Lino disse...

Cara Joana Afonso, desconhecida visitante do meu blogue:
Não tem de pedir desculpa por esse motivo, muito menos por estar interessada em participar hoje à noite na Tertúlia BD de Lisboa. Gostei até bastante da sua manifestação de interesse por esta iniciativa de convívio bedéfilo que organizo há 22 anos, e onde a presença feminina, infelizmente, é sempre reduzida.
Portanto, por esses dois motivos, principalmente (ser bedéfila e ter interesse em participar na TBDL), só tenho de regozijar-me por, através deste blogue, ter-lhe dado a conhecer a existência da tertúlia e ter-lhe suscitado interesse em participar.
Logo, entre as 14h e as 16h, à hora do almoço, como indica, telefonar-lhe-ei.
Entretanto, procure na sua faculdade o semanário gratuito Mundo Universitário (já alguma vez deu por ele?), que tem uma página de banda desenhada, por mim coordenada, com uma bd assinada por Lam (João Lam).