sexta-feira, dezembro 30, 2011

Biografias e entrevistas BD


 
Ao longo deste blogue há muitas biobibliografias de autores de banda desenhada por ele espalhadas, quer de portugueses, consagrados, novos e novíssimos, quer de estrangeiros. 
Esta lista está em constante modificação, visto que lhe vou acrescentando elementos biográficos, por ordem alfabética - independentemente das nacionalidades, das diferenças de idade e de prestígio - de todos os autores sobre quem escrevo.

Para os visitantes poderá ter algum interesse, esporadicamente, poderem ler esses elementos biográficos e bibliográficos acerca de um qualquer autor. Eis a lista:

1. Alex Gaspar - (postagem de 2010, Out. 19)
2. Alex Gozblau - (post de 2011, Maio 17)
3. Algarvio - (p. de 2006, Março 3)
4. Álvaro -  (p. de 2012, Out. 30), (p. de 2005, Dez. 12)
5. Ana Freitas - (p. de 2006, Março 13)
6. Ana Saúde - (p. de 2011, Setembro 4)
7. António Jorge Gonçalves - (p. de 2011, Junho 19)
8. Aragonés - (p. de 2005, Dezembro 26)
9. Aude Samama - (p. de 2010, Out. 26)
10. Azpiri, Alfonso - (p. de 2010, Nov. 5)
11. Breccia, Enrique - (p. de 2006, Set. 26)
12. Bruno Silva - (p. de 2005, Nov. 15)
13. Buscema, John - (p. 2006, Maio 19)
14. Carlos Barradas - (p.2011, Jul.15), (p. 2006, Jul. 9)
15. Carlos Pedro - (p. 2010, Jul.5)
16. Carlos Roque - (p. 2006, Ag. 02)
17. Claudino Monteiro (p. de 2012, Jan. 1)
18. Derradé - (p.2006, Fev. 08)
19. Diniz Conefrey - (p. 2011, Set.19), (p. 2010, Out. 16)
20. Duarte, José Luís - (p. 2006, Set. 12)
21. Francisco Sousa Lobo - (p. 2005, Out. 13)
22. Filipe Frade - (p. 2011, Out. 3)
23. Filipe Melo - argumentista (p. 2010, Mar. 6)
24. Fritz (Ricardo Olivera Almozara) - (p. 2005, Out, 28)
25. Gianni Di Luca - (p. 2006, Março 26)
26. Gary Erskine - (p. 2009, Jun. 10)
27. Hergé (p. Set. 27, 2007)
28. Hugo Pratt - (p. 2005, Agosto 20)
29. Hugo Teixeira - (2011, Novembro 17)
30. Isabel Lobinho - (p. 2006, Jun. 15)
31. Joana Figueiredo (actual "Júcifer") - (p. 2006, Março 20)
32. João Sequeira "JAS" - (p. 2010, Ag. 1)
33. João Vasco Leal - (p. 2010, Abr. 5)
34. Joe Kubert - (p. 2011, Nov. 27)
35. José Abrantes - (p. 2011, Jun. 5)
36. José Carlos Fernandes - (p. 2006, Abril 10)
37. José Lopes - (2005, Dez. 31)
38. Juan Cavia - (p. 2010, Mar. 6)
39. Lam, João - (p. 2006, Abril 24)
40. Liam Sharp - (p. 2011, Maio 30)
41. Luís Pinto-Coelho - (p. 2011, Set. 1)
42. Luiz Gê - (p. 2011, Nov. 3)
43. Luís Valente - (p. 2005, Nov. 24)
44. Manaças, Pedro - (p. 2006, Março 29)
45. Mariana Perry - (p. 2010, Maio 4)
46. Markl, Nuno - (p. 2005, Nov. 30)
47. Martin Tejada - argumentista (p. 2010, Mar. 6)
48. Miguel Braga - (p. 2006, Abril 5)
49. Miguel Mocho - (p. 2010, Nov. 1)
50. Miguel Rocha - (p. 2006, Abril 10)
51. Milo Manara - (p. 2006, Janeiro 12)
52. Moebius - (p. 2006, Março, 25)
53. Mordillo - (p. 2006, Abril 13)
54. Neal Adams - (p. 2009, Dez. 9)
55. Nelson Martins - (p. 2011, Julho 4)
56. Nuno Amorim - (p. 2006, Nov. 26)
57. Nuno Duarte - argumentista (p. 2006, Março 13)
58. Nuno Duarte - "Outro Nuno" - (p. 2011, Maio 2)
59. Nuno Nunes - (p. 2005, Dez. 14)
60. Nuno "Plati" Alves - (p. 2010, Set. 4)
61. Nuno Saraiva - (p. 2011, 12 Jun.)
62. Onofre Varella - (p. 2005, Out. 28)
63. Paulo Marques - (p. 2005, Nov. 15)
64. Paulo Monteiro - (p. 2011, Maio 21)
65. Pedro Alves - (p. 2006, Jan. 19)
66. Pedro Brito - (p.2012, Out. 21)
67. Pedro Massano - (p. com entrevista, 2006, Maio 31)
68. Pepedelrey - (p. 2006, Maio 12)
69. Quino - (p. 2006, Fevereiro 11)
70. Rachel Pollack - (p. 2010, Nov. 1)
71. Rechena, Andreia - (p. 2006, Fev. 14)
72. Ricardo Cabral - (2006, Maio 16)
73. Ricardo Reis - (p. 2009, Ag. 3)
74. Richard Câmara - (p. 2006, Fev. 25)
75. Rosinski, Grzegorz
76. Rui Cardoso - (p. 2006, Fev. 4)
77. Rui Pimentel ou Rui - (p. 2011, Dez. 19)
78. Rui Zink - (p. 2012, Abr. 30)
79. Santos Costa - (p. 2005, Nov. 17)
80. Solano López, Francisco - (p. 2010, Fev. 26)
81. Tito, aliás Tiburcio De La Llave - (p. 2011, Maio 8)
82. Victor Mesquita - (p. com biografia, 2011, Set. 28), (p. com entrevista, 2006, Maio 30)
83. Winsor McCay - (p. 2005, Out. 15)
84. Zé Manel - (p. 2011, Out. 30), (p. 2006, Maio 8)
85. Zé Paulo, ou ZEPAULO - (p. 2008, Dez. 24), (p. 2006, Jun. 30)
86. Zepe - (p. 2006, Dez. 31)
--------------------------------------------------
A ilustrar esta postagem estão as fotos de:
1º - Winsor McCay
2º - Victor Mesquita (foto por G.Lino)

quarta-feira, dezembro 28, 2011

Fanzines, esses desconhecidos (XLVII)









Dos fanzines, tudo se pode esperar, em termos de aspecto gráfico, de conteúdo, de temas tratados. Neste último capítulo, é bem visível que, em Portugal, a banda desenhada atrai as preferências de maior número de faneditores.

Um recente exemplo é o fanzine BDLP que, à primeira vista, se encaixa no género de zine preenchido por diversos autores. Mas após leitura/visionamento, surge a faceta que o distingue na fanedição portuguesa: a de englobar bandas desenhadas de autores lusófonos pertencentes a três países diferentes: Portugal (obviamente, visto ser cá editado), Brasil e Angola.

Aliás, a sigla BDLP que constitui o título, dá o significado da intenção motivadora do seu lançamento: Banda Desenhada de Língua Portuguesa.

O projecto nasceu em 2010, durante o Festival Internacional de Banda Desenhada - Luanda Cartoon, e a intenção é a de editar um número anual, aumentando gradualmente a colaboração de autores de mais países da Comunidade de Língua Portuguesa (CPLP).

Isto porque, como se pode ler na Nota de Abertura, "o Português é uma das seis línguas mais faladas no Mundo. Isso poderá fazer com que as bandas desenhadas em português sejam, também elas umas das seis mais lidas no planeta". Teoricamente, tem a sua lógica.

As imagens no topo do "post" são da autoria de:
1. GEvan a.k.a. Gabriel Evangelista - Portugal (Ilustração da capa)
2. Joana Afonso - Portugal
3. Marcelo d'Salete - Brasil
4. Júlio Pinto (desenho) - Angola, Rita Vilela (argumento) - Portugal
5. Álvaro - Portugal
6 e 7. Bocolo Daniel & Hermenegildo Pimentel (desenho) - Angola, Rita Vilela (arg.) - Portugal
(Veja-se a notória influência da mangá nestes dois desenhadores angolanos, significando isso que a presença da BD japonesa já começa a ficar visível em Angola) 
8. Nelo Tumbula - Angola
9. João Mascarenhas - Portugal

Ficha técnica
BDLP #1
Formato: A5
Capa e contracapa, de cartolina, impressa a duas cores
72 páginas
Tiragem: 100 exemplares
Data da edição: Novembro 2011
Preço: 5€
Editor: Extractus (Lisboa/Portugal) e Olindomar (Luanda/Angola)
---------------------------------------
Pedidos de compra podem ser enviados para o próprio endereço do fanzine...
... que foi criado, lê-se na nota de abertura, "para servir de contacto mais imediato com os leitores do fanzine (...) já que é sabido existirem cerca de 34 milhões de internautas de língua portuguesa em todo o mundo" (...).
----------------------------------------------------------
Os visitantes interessados em ver as 46 postagens anteriores, poderão fazê-lo clicando no item Fanzines esses desconhecidos visível no rodapé.

sábado, dezembro 24, 2011

Livros sobre BD - Os meus livros (VII)

Era hábito, pelo Natal, as revistas de banda desenhada antigas - concretamente, as que tinham existência estável entre as décadas de 1920 e 1960 do século passado - ilustrar as capas com alegorias à quadra natalícia.

Esta constatação aplica-se essencialmente a revistas infanto-juvenis de BD, publicadas com profusão na Europa.
Em Portugal podem encontrar-se numerosos exemplos em O Papagaio, O Mosquito, Camarada, Fagulha, Diabrete, Cavaleiro Andante, Zorro, Mundo de Aventuras, entre outras.

Mas, enquanto que em Portugal nunca foi feita uma recolha dessas capas com imagens natalícias, em Inglaterra houve um coleccionador e estudioso chamado Denis Gifford que, entre os vários livros que escreveu sobre "Comics", dedicou um deles em exclusivo a este tema. Intitulou-o Christmas Comic Posters, e nele se podem admirar capas de várias revistas inglesas, designadamente Puck, Ally Sloper, The Dandy Comic, The Beano, Chips, com frases dedicadas ao Natal como, por exemplo, "Christmas Number", "Grand Xmas Number", "Double Christmas Number", acompanhadas de bandas desenhadas dentro do mesmo registo.

Grandes autores de BD britânicos estão representados nas quarenta e quatro capas que compõem o livro, entre os quais Roy Wilson e Percy Cocking - os mais divulgados em revistas portuguesas.
A ilustrar o presente "post" podem admirar-se umas tantas imagens relativas a capas de populares revistas inglesas infanto-juvenis, sendo que várias das séries nelas reproduzidas foram divulgadas em algumas das congéneres portuguesas acima mencionadas.

Christmas Comic Posters
Livro com as dim. 29,8x24cms
Volume brochado
Miolo: 48 páginas de elevada gramagem, com reproduções a cores
Texto e compilação de Denis Gifford
Editora: H.C. Blossom - London - UK
Data da edição: 1991
-------------------------------------------------
Agradeço a quem visita este meu blogue com assiduidade, e desejo-lhes Boas Festas e um Ano Novo com saúde, fecundas realizações artísticas e estabilidade profissional.
-------------------------------------------------

Aproveito para lhes sugerir que vejam os "posts" anteriores deste tema, clicando sobre o item Livros sobre Banda Desenhada visível no rodapé

segunda-feira, dezembro 19, 2011

Lisboa na Banda Desenhada (XVIII)

 
Lisboa, Ano 2024 é o título que Rui Pimentel deu à sua banda desenhada curta - quatro pranchas a cor - integrada no livro Uma revolução desenhada. O 25 de Abril e a BD.

Mais conhecido como cartunista - colaborou nessa faceta na actual revista Visão durante vinte anos, Rui (o seu nome próprio com que sempre assinou os cartunes) tem também obra na BD, escassa, sim, mas demonstrativa de correcto conhecimento da linguagem da banda desenhada.

Na obra acima referida - de que no topo do "post" se pode ver a 2ª prancha, subdividida em duas partes -, fica patente o seu registo mais recente no realismo caricatural, em que também sobressai a sua capacidade de variar os planos, marcada logo na vinheta inicial da citada prancha, com um plano em picado onde se visiona um local emblemático de Lisboa, a Praça do Comércio (ou Terreiro do Paço), numa composição arquitectónica futurista, demonstrativa de grande imaginação e criatividade.
..........................................................................
RUI (RUI PIMENTEL)

Biobibliografia

Rui Flunser Pimentel, Lisboa, Outubro 1951.
Formou-se em Arquitectura, na Suiça, pela Escola Superior Técnica Federal de Zurique.

A sua estreia na BD é feita em Outubro de 1975, num pequeno álbum de vinte páginas, com capa a duas cores e miolo a preto e branco, intitulado A Comuna de Paris - 1871. É de índole política, e surge sob chancela da efémera Edições Spartacus.

Poucos anos mais tarde, no final de 1980, surpreende o meio bedéfilo com a excelente obra Camões aos Quadradinhos sob adaptação literária de Jorge Serrão de peça teatral da autoria de Helder Costa. O álbum, hoje uma raridade, foi editado pela Agência Portuguesa de Revistas, o que igualmente constituiu surpresa, visto que a especialidade daquela empresa editorial tinha a ver exclusivamente com revistas.

Rui Pimentel colaborou, em 1999, no álbum colectivo Uma Revolução Desenhada: o 25 de Abril e a BD, com uma banda desenhada, em quatro pranchas a cores, Lisboa, Ano 2024. As bandas desenhadas constantes desse livro, de diversos autores/artistas, tiveram direito a exposição, com cenografia dele mesmo, e que se tornou itinerante, tendo estado em Coimbra (1999), Aveiro (2000) e Setúbal (2001).

Em 2003 dele foi também a montagem da exposição Coimbra na BD, num impressionante espaço cedido pelo Museu da Ciência da Universidade de Coimbra, nas suas próprias instalações.

Ainda nesse ano aparece o seu segundo álbum de banda desenhada, Fado - Estórias na Noite, realizado em quadricromia, num grafismo com alguma influência da sua actividade cartunística, o que lhe imprime estilo bem diferente do de Camões aos Quadradinhos, sem contudo deixar de demonstrar elevada qualidade no traço, e sendo ele mais uma vez o responsável pelo argumento, de muito bom nível.

Inquestionavelmente, o nome deste artista é mais sonante como cartunista. Nas páginas da actual revista Visão, ele colaborou entre 1987 e 2007, fazendo semanalmente um cartune em que assinava Rui. Mas o gosto por fazer BD permanece, o que o levou a colaborar, em 2007 e 2008, no fanzine Efeméride (nºs 2 e 3, respectivamente), nas obras colectivas "Príncipe Valente no Século XXI" - neste caso com o episódio Uma Aventura em Évoramonte, e "Super-Homem no Século XXI", com A Viagem, em ambos os casos bandas desenhadas auto-conclusivas numa única prancha.
Geraldes Lino


-----------------------------------------------------------
Os visitantes interessados em ver as dezassete postagens anteriores poderão facilmente fazê-lo, bastando-lhe clicar no item Lisboa na Banda Desenhada visível no rodapé

quinta-feira, dezembro 15, 2011

Tintin e Hergé (XVII)

Tintim e Capitão Haddock tornaram-se famosos como "heróis" de banda desenhada, entre outros criados por Hergé. O curioso é que o cartunista Cid recriou três dessas personagens -Tintim, Professor Girassol e Milú - e meteu-as a contracenar com Angela Merkel (na pele de Madame Castafiore) num cartune, humorístico como é apanágio do género, mas num contexto de crítica política - o que também é muito comum no cartunismo.
Este engraçado cartune foi publicado no semanário Sol (9 Dezembro 2011), onde  Augusto Cid colabora na rubrica Cartoon.

Aliás, aproveito para explanar aqui uma ideia que desde sempre tenho defendido: o verdadeiro cartune é exactamente assim, numa imagem única. Quando o gag visual é desenvolvido em três ou quatro vinhetas, já se está em presença de um compromisso entre a banda desenhada e o cartune, muito próxima de uma banda desenhada curta, embora mantenha, de facto, o espírito do cartune, que é o de caricaturar situações na sua maioria de cariz político, ou personalidades também geralmente ligadas à política.
----------------------------------------------------
Os visitantes deste bogue que estejam interessados em ver postagens anteriores ligadas a este tema, poderão fazê-lo clicando sobre o item Etiquetas:Tintin e Hergé, visível no rodapé

segunda-feira, dezembro 12, 2011

Improvisos na toalha de mesa (IV)




Poderei chamar "ecos gráficos da Tertúlia BD de Lisboa" ao Comic Jam e aos desenhos improvisados com que alguns dos meus amigos autores de banda desenhada enchem as toalhas de mesa, enquanto jantam no nosso restaurante habitual.

Quanto ao primeiro "eco", já o mostrei no "post" do passado dia 8, e o segundo fica hoje visível ali no topo, aliás são dois conjuntos de desenhos improvisados, o de cima é o do Nuno Duarte "Outro Nuno", o seguinte é do Falcato (Miguel Falcato), dois amigos que habitualmente se sentam ao lado um do outro (e isso nota-se na coincidência de pequenos pormenores em ambos os improvisos...)

Estes desenhos são feitos no decorrer da tertúlia. E, enquanto fundador do que se enquadra na categoria de associação informal (isto é: nada de estatutos e corpos gerentes, zero de sócios, mas com existência concreta através de encontros periódicos) e igualmente seu coordenador mensal, faz todo o sentido que mostre tais divertimentos gráficos no meu blogue.

Não se veja nestas palavras qualquer tipo de censura a quem usa estes mesmos elementos nos seus espações internéticos.Ou seja: ao meu amigo Machado-Dias, da editora Pedranocharco, que, no seu blogue Kuentro (1) mostra de vez em quando as reportagens fotográficas que faz de vários aspectos da TBDL, e bem assim as imagens do Tertúlia BDzine (que edito e distribuo aos participantes) e do comic jam que algum trabalho me dá a conseguir acompanhar o trabalho de cada um dos seis desenhadores (porque tenho de efectuar outras tarefas em simultâneo). Só tenho a agradecer-lhe.

Outro tanto sucede com os meus amigos Falcato e Nuno Duarte "Outro Nuno", que abriram um espaço no Facebook (2) onde reproduzem imagens da tertúlia e do que lá se faz, depois de me terem pedido autorização, e a quem também agradeço.

(1) http://kuentro.blogspot.com/
(2) http://pt-br.facebook.com/tertuliabddelisboa
--------------------------------------------------
Os interessados em ver as três postagens anteriores deste tema facilmente o poderão fazer: bastar-lhes-á clicarem no item Etiquetas: Improvisos na toalha de mesa, visível no rodapé

sábado, dezembro 10, 2011

Mesa redonda







Parque Mayer

de 25 de Novembro a 11 de Dezembro

Grande Feira do Livro (1 a 11 de Dezembro)
-----------------------------------------------
Tema para uma Mesa-Redonda
Lisboa na BD – Uma cidade bem desenhada
11 de Dezembro/ 17h 30m

Mesa redonda

Com a participação de:

Carlos Barradas (autor de BD, ilustrador, pintor)
Filipe Abranches (autor de BD, ilustrador, cineasta)
Filipe Melo (argumentista de BD, músico de jazz, cineasta)
José António Barreiros (argumentista, escritor)
Geraldes Lino (organizador da Tertúlia BD de Lisboa, no Parque Mayer, editor de fanzines, bloguista)

Moderação por João Morales (director da revista "Os Meus Livros")
---------------------------------------------

Fase final de um evento que aqui foi divulgado no "post" de Dezembro, 2

segunda-feira, dezembro 05, 2011

Tertúlia BD de Lisboa - 329º Encontro


Mantendo o esquema habitual desde há vinte e seis anos, a Tertúlia BD de Lisboa, para além do jantar e do sorteio interactivo de peças de banda desenhada, terá um Convidado Especial, o autor de BD, ilustrador e designer GEvan.

Para os visitantes deste blogue, em geral, e para os participantes mais assíduos da TBDL em particular, aqui fica uma síntese biobibliográfica desse novo autor que se dará a conhecer melhor, através da sua auto-apresentação, no dia 6 deste mês de Dezembro.
-------------------------------------------------
GEvan

Biobibliografia

Gabriel Santos Evangelista, aka GEvan, nasceu no Canadá, em Winnipeg, a 25 de Janeiro de 1981. Veio para Portugal em Dezembro de 1986.

A sua formação artística iniciou-se em 1999, na então chamada Escola Superior de Tecnologias, Gestão, Arte e Design, nas Caldas da Rainha (que posteriormente adoptaria o nome de Escola Superior de Arte e Design - ESAD), onde se licenciou em Design, opção Design Industrial, em 2004.

Participou em diversas actividades criativas nas áreas de artesanato, design, animação, escultura e performances. Foi nessa fase que surgiu o gosto pela Ilustração e Banda Desenhada, o que o levou a criar o fanzine Cag-anita, do qual sairam seis números, tendo nele participado como editautor.

No que concerne à BD, GEvan participou em concursos, tendo obtido uma Menção Honrosa no do Festival Internacional de BD de Moura, um 2º prémio no do "Jovens talentos" organizado em Pinhal Novo. Neste evento contactou com o grupo de BD "Nono Império", com quem colaborou na revista Sketchbook, com a bd "Kitty Fé".

A fazer ilustração, banda desenhada e design, colaborou na revista Super Pig (nºs 2, 3 e 4), publicada pela livraria e também editora Kingpin Comics, ambas rebaptizadas posteriormente com o título de Kingpin Books), e, recentemente, na edição tipo TPB, na bd colectiva "Super Pig Live Hate".

Em 2008 foi-lhe publicada no jornal Mundo Universitário a bd, de prancha única e a cores, "Negócios à Parte".

Como ilustrador e/ou designer, colaborou nas revistas Sábado, Super Pig, C.A.O.S., na Celacanto, no blogue "Puntche" (de sua co-autoria) e, recentemente, no fanzine BDLP (#1),para o qual desenhou capa e contracapa.

Tem participado em exposições colectivas de BD: no Festival Internacional de BD da Amadora-FIBDA, em 2005, com a bd "Anjo Ben"; no Moura BD, em 2006, também em Pinhal Novo, com a bd "Kitty Fé" e no mesmo ano no FIBDA, com a bd "+351"; em 2007, outra vez no FIBDA, na mostra "Autores Portugueses", com pranchas incluídas na revista Super Pig (nº3); e em 2011, ainda no FIBDA, com uma prancha reproduzida no álbum "Super Pig Live Hate".

Para mais informações sobre GEvan, consultar http://gevan.viewbook.com/

As imagens que ilustram o presente "post" são pranchas de BD da autoria de GEvan
------------------------------------------------

Lista de presenças neste encontro bedéfilo, elaborada "a posteriori"

1. Adelina Menaia
2. Afonso
3. Álvaro
4. Ana Saúde
5. Ana Vidazinha
6. André Conceição
7. António Isidro
8. Bruno Ma
9. Clara Queiroz
10. Cristina Amaral
11. Falcato
12. Felipe Teixeira "Texugo"
13. GEvan
14. Geraldes Lino
15. Helder Jotta
16. Hugo Teixeira
17. J. Mascarenhas
18. Joana
19. João Amaral
20. João Figueiredo
21. João Sequeira "JAS"
22. Machado-Dias
23. M.A.L.S.
24. Manuel Valente
25. Mário Freitas
26. Milhano
27. Moreno
28. Nuno Duarte
29. Nuno Duarte "Outro Nuno"
30. Nuno Folhadela
31. Nuno Neves"Verbal"
32. Olivier Poubaix
33. Paulo Marques
34. Pedro Bouça
35. Pedro Paixão
36. Petra
37. Potier, Pedro
38. Rechena
39. Rúben Branco
40 Rui Domingues
41. Rui Rafael
42. Sá-Chaves
43. Sara Carvalhal
44. Simões dos Santos
45. Tiago Baginha
46. Vítor Hugo Nascimento
----------------------------------------------------------------

Os interessados em ver quem foram os Convidados Especiais e/ou os Homenageados poderão facilmente fazê-lo, bastando-lhes, para isso, clicarem no item Etiquetas: Tertúlia BD de Lisboa, visível no rodapé

sexta-feira, dezembro 02, 2011

Mesa Redonda


O Parque Mayer foi, in illo tempore, um espaço lúdico de grande popularidade em Lisboa.

Chegou a ser considerado "a Broadway portuguesa", especialmente por incluir no seu vasto recinto vários teatros de revista "à portuguesa", mas também um cinema, uma meia dúzia de restaurantes, cafés e esplanadas, rinque de patinagem
- transformado, de vez em quando, em ringue de boxe para "boxeurs" de clubes amadores -, barracas de tiro, salão de jogos (bilhar, "snooker", matraquilhos), enfim, era um pólo de atracção bastante forte para o público em geral, maioritariamente alfacinha.

De há uns anos a esta parte, já só restam três coisas a funcionar no abandonado parque: um teatro (o "Maria Vitória"), um restaurante (o "A Gina"), e uma reunião mensal de apreciadores de banda desenhada, (a "Tertúlia BD de Lisboa").

Todavia, repentinamente, eis que surge um evento a animar o muito esquecido Parque Mayer: uma "Grande Feira do Livro", onde se incluem diversos actos culturais de índole diversa, entre os quais - e eis o motivo de se incluir a notícia do evento neste blogue de banda desenhada -, uma mesa redonda, onde participarão quatro autores de BD (dois desenhadores e dois argumentistas), um bloguista e um director de revista literária -, dedicada ao tema "Lisboa na BD - Uma cidade bem desenhada".
------------------------------------------
Eis o programa:

Parque Mayer
de 25 de Novembro a 11 de Dezembro

Grande Feira do Livro (1 a 11 de Dezembro)
Cegarrega – Espectáculo a partir de Miguel Torga e Aquilino Ribeiro/Passeio dos Actores –– Direcção de Pedro Giestas
1 de Dezembro/ A partir das 15h

Abertura Oficial da Feira do Livro
1 de Dezembro/ 15h 30m

Herman José e Carlos Paião – Uma dupla gargalhada
1 de Dezembro/ 17h 00m / Feira do Livro do Parque Mayer
c/ António Costa Santos e Nuno Gonçalo da Paula; moderação – João Morales

Recuperar o Sorriso – Leituras em torno de António Lobo Antunes, António Gedeão e Gomes Leal
3 de Dezembro/ 17h/ Feira do Livro do Parque Mayer
c/ Jograis do Atlântico (Edite Gil e Francisco Félix Machado)

Professores e Escolas – Apresentação do livro
3 Dezembro/ 18h/Evangelina Bonifácio Silva
Fonte da Palavra

José Luis Vieira; Fernando Lobo; Manuel Dias Duarte; João Gouveia (todos os livros) Sessão de Autógrafos
4 Dezembro/ 16 h
Fonte da Palavra

Olh’ò Fado – Apresentação do livro
Marília Abel e Carlos Consiglieri
8 Dezembro/ 16 h
Fonte da Palavra

Sílvia Teixeira – O que há para o Jantar – Sessão de Autógrafos
10 Dezembro/ 16 h
Fonte da Palavra

Arte, Arquitectura e Cidade (A propósito da Lisboa Monumental de Fialho de Almeida), Lançamento do Livro Manuel Graça Dias/ Apresentação a cargo do Arq.º Manuel Vicente
10 Dezembro/ 18h 30m Parceria A. M. Pereira

Jorge Trigo e Luciano Reis – Todos os livros – Sessão de Autógrafos
11 de Dezembro/ 16 h
Fonte da Palavra
-------------------------------------------------------------

Lisboa na BD – Uma cidade bem desenhada
11 de Dezembro/ 17h 30m
Mesa redonda

Com a participação de:
Carlos Barradas (autor de BD, ilustrador, pintor)
Filipe Abranches (autor de BD, ilustrador, cineasta)
Filipe Melo (argumentista de BD, músico de jazz, cineasta)
José António Barreiros (argumentista, escritor)
Geraldes Lino (organizador da Tertúlia BD de Lisboa, no Parque Mayer, editor de fanzines, bloguista)

Moderação por João Morales (director da revista "Os Meus Livros")

-----------------------------------------------------------

Outros temas incluídos neste evento pluridisciplinar:

ENCONTROS LUSO-BRASILEIROS SOBRE O TEATRO DE REVISTA

Nos 160 anos da chegada deste género teatral a Portugal
Dia 28 de Novembro, Segunda-feira, às 15h, no Teatro Maria Vitória -

O Teatro de Revista no Brasil
por Neyde Veneziano (professora universitária e encenadora brasileira)
Dia 1 de Dezembro, Quinta-feira, às 16h, na Tenda da Feira do Livro

A Política da 1ª. República no Teatro de Revista por Jorge Trigo (historiador e autor de livros sobre o Teatro).
Dia 2 de Dezembro, às 15 h, na Tenda da Feira do Livro

As "Vedetes" do Teatro de Revista Brasileiro
por Eloina Ferraz (professora e actriz brasileira) e Neyde Veneziano (professora universitária e encenadora brasileira)
Dia 2 de Dezembro, às 18h e 30 m, na Tenda da Feira do Livro -

O Teatro de Revista e a Universidade
por Gonçalo Antunes de Oliveira (etnomusicólogohistórico)
Dia 3 de Dezembro, às 15 h, na Tenda da Feira do Livro

Encontro sobre o Teatro de Revista em Portugal – Passado, Presente e Futuro
(Actores, autores, compositores, encenadores e empresários)
Dia 4 de Dezembro, às 15h, na Tenda da Feira do Livro
------------------------------------------------
Imagens que ilustram o "post" (de cima para baixo):

1) Cartaz do evento da autoria de Miguel Simões
2) Vinheta da autoria de Carlos Barradas (desenho), José António Barreiros (argumento)
3) Vinheta da autoria de Juan Cavia (desenho), Santiago Villa (cor), Filipe Melo (argumento)
4) Vinheta de C. Moreno (desenho), e C. Moreno e G. Lino (argumento)

sexta-feira, novembro 25, 2011

Exposições BD avulsas (XIII)

O evento intitulado Exposição de Artes e Artistas - Universos do Entropia, cujas componentes principais são a Banda Desenhada, a Ilustração, o Cartune, a Caricatura e a Fotografia, vai inaugurar-se sábado, dia 26, entre as 15h00 e as 18h00, no Salão Nobre da Junta de Freguesia de Carcavelos (*).

Participam no evento os seguintes autores (desenhadores, argumentistas e cartunistas):

Adelina Menaia (argumentista)
Álvaro
Ana Maria Baptista
Ana Saúde
Bruno Balegas
Bruno Ma
Bruno Martins
Catarina Guerreiro
Filipe Duarte
Gastão Travado
João Amaral
João Figueiredo (argumentista)
João Raz
João Sá-Chaves
João Sequeira
Manuel Alves
Melanie Romão
Miguel Ferreira (argumentista)
Nuno Sarmento
Paula Nunes
Paulo Marques
Pedro Manaças
Ricardo Correia

Note-se que se trata de uma exposição itinerante, em deslocação a Carcavelos desta vez, onde ficará patente ao público no seguinte horário:

- 2ª a 5ª feira: 9h00-13h00, 14h00-16h30, 18h00-20h00
- 6ª feira: 9h00-13h00, 14h00-16h30
- Sábado: 15h00-22h00

(*) Estrada da Torre, 1483 - Carcavelos

quinta-feira, novembro 24, 2011

Exposições BD avulsas (XII)

O Amor Infinito Que Te Tenho é o título do primeiro livro de banda desenhada de Paulo Monteiro, editado em 2010.

São as pranchas das várias bedês que integram o livro que compõem a exposição de BD, cuja inauguração está marcada para o próximo dia 26 de Novembro,no Espaço Estúdio (que se vê numa das imagens que ilustram o presente "post"), sito em Nisa (Portalegre), pertencente a João Sequeira aka JAS, arquitecto, ilustrador, autor de BD.

A Paulo Monteiro, mais conhecido fora de Beja na sua qualidade de competente e dinâmico organizador do Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja, é dada a nesta iniciativa a justa possibilidade de mostrar a sua faceta de autor de BD, onde é excelente ficcionista e talentoso desenhador.

A mostra estará patente até 4 de Fevereiro, o que dará azo a que os amigos e admiradores do Paulo possam ir a Nisa e, quiçá, visitar pela primeira vez aquela vila alentejana do distrito de Portalegre.
-----------------------------------------------

PAULO MONTEIRO

Síntese biobibliográfica


Paulo Ricardo Ferreira Monteiro nasceu em Vila Nova de Gaia, a 8 de Novembro de 1967.

A sua actividade na banda desenhada teve início em 1984, com o fanzine Abelharuco, de que foi editautor, seguindo-se Eclipse (1985) e De Washington a Moscovo com partida em Nova Iorque (1986), em que manteve a dupla função de editor e autor das bandas desenhadas.

Em 1987 matriculou-se na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde se licenciaria em 1991 em História da Arte, disciplina em que obteria uma pós-graduação, em 1993, ano da sua ida para Beja, onde se fixou.

Por essa época as suas actividades eram bastante diversificadas: escreveu para a rádio e para jornais - por exemplo, fez excelentes (na minha opinião) críticas sobre BD no Diário do Alentejo -, passou filmes de Buster Keaton e de Charlot num cinema ambulante, compôs canções, tocou guitarra em festas de beneficência, trabalhou nas vindimas, realizou ateliês de azulejaria, banda desenhada e ilustração, fez teatro de fantoches, participou em escavações arqueológicas, foi professor de Ciências da Natureza e Geografia.

Dedicou-se à Ilustração durante largos anos, tendo ilustrado mais de trinta livros de editoras diversas, para algumas das quais também foi autor de textos: "Guessene", "Uma Visita ao Convento", e "Um dia Extraordinário na Vida de Manuel Mineiro", são títulos de livros de sua autoria.

Escreveu e editou 3 fanzines de poesia: Poemas (1988), Poemas a andar de carro (2003) e Poemas Japoneses (2005).

Orienta, desde 1996, o Toupeira-Ateliê de Banda Desenhada, onde ele próprio ensina a fazer fanzines e dá cursos de BD, sendo por isso o responsável por Venham+5, uma publicação de qualidade que oscila entre a revista e o fanzine (em relação a este último, tem dele quatro características: título invulgar, colaborações benévolas, nada de fins lucrativos nem distribuição a nível nacional), mas com a restrição de ter como editora a Câmara Municipal de Beja, não classificável como fã de BD.

O seu nome voltaria a aparecer num fanzine, o Tertúlia BDzine (nº 40 - Fev. 2001) com uma personagem a que chamou "Capitão Portugal", secundada por outra chamada "Capitão Fanzino" (esta segunda com flagrantes parecenças caricaturais com o presente bloguista, assumido aficionado dos fanzines, como coleccionador e editor).

Em Dezembro de 2002 foi um dos autores a realizar bandas desenhadas em episódios autoconclusivo em duas tiras), com o título "Busca, busca", para o fanálbum Novas Fitas de Juca & Zeca.

Ainda nos fanzines, participou num em formato A3, com o título Efeméride (nº1-Out. 2005), centrado no tema "Sonhos de Nemo no Século XXI" - homenagem paródica à obra-prima "Little Nemo in Slumberland" - com o episódio numa prancha única, a cores, "Reflexo de Metal". No mesmo Efeméride (nº2 - Fev. 2007), dedicado na totalidade à personagem Príncipe Valente, a sua colaboração intitulou-se "O Último Dia do Sargento Valente", de novo em bd curta, autoconclusiva, com sentido dramático reforçado pelas tonalidades sombrias da colorização.

Tem colaborado com frequência num fanzine da Galiza, o Barsowia. e na revista brasileira Café Espacial. Para além destas colaborações, em Outubro de 2010 teve dez bandas desenhadas suas englobadas num álbum com o título "O Amor Infinito Que Te Tenho e Outras Histórias" (edição de Rui Brito na chancela Polvo), onde consta a curta que preenche o presente "post".
Geraldes Lino

-------------------------------------------------------------
Nota deste bloguista: aqui no blogue, na rubrica "Curtas de BD (Autores portugueses)", foi reproduzida, no "post" datado de 21 Maio 2011, a bedê "Porque é Este o Meu Ofício", uma das que compõem o livro "O Amor Infinito Que Te Tenho", além de, nesse mesmo "post" se poder ler uma mais extensa biobibliografia de Paulo Monteiro
-----------------------------------------------------------
Os visitantes poderão ver imagens do interior do Espaço Estúdio, bem como cenas de outras exposições lá realizadas, no blogue
http://www.espacoestudio.blogspot.com/

----------------------------------------------------------
Os interessados em ver quais foram as anteriores 11 exposições avulsas aqui divulgadas, poderão fazê-lo clicando no item Etiquetas: Exposições BD avulsas visível no rodapé

segunda-feira, novembro 21, 2011

Concursos de Banda Desenhada

Um concurso de BD intitulado "Todos Somos Europa", concebido para alunos do Ensino Básico, em iniciativa da União Europeia - com a colaboração do Centro de Informação Europeia Jacques Delors - é uma boa surpresa para os jovens que se sentem com jeito para desenhar, e gostam de fazer banda desenhada.

Tenho a consciência que este blogue não será visitado por gente tão nova, mas acredito que haverá professores interessados no assunto e alguns visitantes que tenham filhos em idade escolar, e que lhes possam transmitir a informação que divulgo na presente postagem.

Começo pelos aspectos mais importantes:

1. O concurso é dirigido aos alunos dos 2º e 3º ciclos do Ensino Básico;

2. A primeira coisa que os interessados têm de fazer é
inscreverem-se até ao dia
15 de Dezembro de 2011, através do envio da respectiva Ficha de Inscrição, disponível para download no site oficial do concurso:
http://www.todossomoseuropa.eu/

3. O envio das fichas de inscrição deverá ser feito para o seguinte endereço:

Todos Somos Europa
I - Zone
Av. 5 de Outubro, 70-8º
1050-059 Lisboa

3. No âmbito deste projecto, propõe-se que cada turma participante escolha a bd mais original (a obra tem de ser individual).

4. Cada prancha de BD deverá respeitar, no mínimo, o tamanho A4 (210x297mm) e, no máximo, o A3 (297x420mm).
Os materiais a usar poderão ser diversificados.

5. Considera-se candidato o aluno vencedor da sua turma, tendo obrigatoriamente um professor responsável que enviar pelos CTT a Ficha de Inscrição devidamente assinada pela escola.

6. Não são aceites inscrições individuais (é o professor que candidata o aluno).

7. Portanto, a cada ficha de inscrição deverá corresponder apenas uma obra de banda desenhada (a do vencedor da turma).
8. A acompanhar cada banda desenhada deverá ser entregue um envelope, fechado, com a seguinte informação:

[Identificação do candidato]
Todos Somos Europa
Concurso de Banda Desenhada

9. Dentro desse envelope terá de constar uma cópia (fotocópia) da Ficha de Inscrição.

10. Na recepção das obras, a fim de garantir o anonimato dos concorrentes, será atribuído um código numérico composto por 4 dígitos, que será colocado no envelppe e nas pranchas da banda desenhada.

11. Prazo de entrega das bandas desenhadas:
15 de Fevereiro de 2012

PRÉMIOS

Serão atribuídos prémios aos alunos autores das três melhores bandas desenhadas, e ao professor responsável pela bd que receber o 1º prémio.

Aluno
1º, 2º e 3º prémios: um tablet PC

Professor
1º prémio: um tablet PC

Poderão ser atribuídas Menções Honrosas, caso o Júri assim o entenda.

Os temas postos à disposição dos concorrentes são os seguintes:
1. "A União Europeia dos Cidadãos"
2. "O Desafio da Recuperação Económica e Financeira"
3. "A Nova Estratégia Europa 2020 para o Crescimento e Emprego"

Repito o site da entidade organizadora do concurso:
http://www.todossomoseuropa.eu/

----------------------------------------------------
A ilustrar o presente texto está a imagem da capa do livro Understanding Comics. The Invisible Artde Scott McCloud um livro muito útil para os jovens iniciantes tomarem contacto com vários aspectos importantes da Banda Desenhada: linguagem, regras, convenções.