sexta-feira, março 19, 2010

Lisboa na Banda Desenhada (XIII) - Vistas da cidade pelo argentino Juan Cavia







Lisboa vista pela BD tem sempre interesse estético, e suscita especial curiosidade quando o artista que a recria é estrangeiro. É o caso do argentino Juan Cavia, que pela primeira vez na vida fez banda desenhada - e com muita categoria, diga-se desde já -, por teimosia de um português chamado Filipe Melo - conhecido nos meios do Jazz e do Cinema. Ambos a estrearem-se na BD, o argentino a desenhar, o português a escrever o argumento, através da novela gráfica As Incríveis Aventuras de Dog Mendonça e Pizzaboy.
Pormenor curioso: Juan Cavia, quando desenhou as vistas de Lisboa, nunca cá tinha vindo. Foi graças a fotografias, enviadas por email por Filipe Melo, que ele pôde recriá-las. E gostou agora de as visitar, fisicamente, conforme disse, no momento de conversa na Tertúlia BD de Lisboa, no passado dia 9.
--------------------------------------------------------------
Em cima, as imagens que ilustram o "post", são bem conhecidas dos lisboetas. Mas, para o caso de algum visitante que nunca tenha vindo a Lisboa, ou estrangeiro (brasileiro, por exemplo), indico os nomes dos locais.
De cima para baixo:
1) Elevador da Bica, mais propriamente uma vista da Rua da Bica de Duarte Belo, no popular bairro da Bica, onde, nas noites de 5ª, 6ª, sábado e domingo, quando o elevador já não funciona, centenas de noctívagos se juntam a tagarelar, de copo na mão;
2) A Sé Catedral de Lisboa, ao fundo de uma rua (de que não sei, ou se calhar, apenas não me lembro do nome), que parte das Portas de Sol, no topo do Bairro de Alfama, passa pelo largo do Limoeiro, a seguir pela Sé, e vai desembocar na rua da Madalena;
3 e 4) A estátua de D. José, no Terreiro do Paço (como nós lisboetas chamamos à vastíssima Praça do Comércio);
5 e 6) Lisboa localizada num mapa 

------------------------------------------------------------------------------
Desta mesma obra já aqui falei, e dela mostrei imagens, em dois temas diferentes:
Ponto Um: referindo-me à Tertúlia BD de Lisboa que, pela primeira vez, teve um quarteto de Convidados Especiais, no seu 309º Encontro (1º Extra), em que se fez o lançamento (mais um, em seguida ao efectuado no Fantasporto) do citado álbum, como se pode ver no "post" de Março, 6, 2010;
Ponto Dois: quando acrescentei um "post", relacionado com a referida obra, mostrando uma impressionante cena de tortura, englobada na rubrica "Estética e Convenções Gráficas - Tortura na BD" ("post" de Março, 10, 2010).
--------------------------------------------------------------------------------

Para ver as postagens anteriores relacionadas com o presente tema "Lisboa na Banda Desenhada", basta clicar neste mesmo item indicado em rodapé.
----------------------------------------------------------------------------------
Mas se os caros amigos visitantes do blogue quiserem saber primeiro quais as vistas de Lisboa já focadas nas diversas postagens, e os nomes dos autores referenciados, basta ver a lista abaixo:

(XII) Jan. 24 - Obra: ; Lady S - Capítulo: Salade Portugaise; Desenhos de Philippe Aymond, sob argumento de Jean Van Hamme
2010 daqui para cima

(XI) Nov. 19 - Monumentos e edifícios na obra "História e estórias do ACP" - Autores: Luís Correia (desenho), Carlos Morgado (argumento/guião)
(X) Julho 24 - Vários edifícios de Lisboa, na obra "Fernando Lopes Graça. Andamentos de uma Vida" - Autor: Ricardo Cabrita
(IX) Março 19 - Telhados da Baixa de Lisboa à noite - Autores: Filipe Alves (desenho), Álvaro Áspera (argumento)
(VIII) Março 13 - Parque Mayer: vista da entrada parcialmente submersa - Autores: Ana Saúde (desenho), João Veiga (arg.)
2009 daqui para cima

(VII) Junho 14 - Arco da Rua Augusta e Parque Mayer - Autor: C. Moreno
(VI) Abril, 14 - Sé Catedral de Lisboa, a cores diurnas e nocturnas - Autor: António Jorge Gonçalves
(V) Março, 11 - Alfama, recantos do bairro lisboeta - Autor: Filipe Andrade
(IV) Fev. 9 - Bairro dos Olivais com espaços verdes à vista - Autor: Ricardo Cabral
2007 daqui para cima

(III) Julho, 18 - Terreiro do Paço submerso - Autor: António Jorge Gonçalves
(II) Junho, 19 - Elevador de Santa Justa - Autor: Zé Paulo
(I) Maio, 21 - Torre de Belém e Convento do Carmo vistos em picado - Autor: Victor Mesquita
2006 daqui para cima

============================
Isto agora não tem nada a ver com o "post", é apenas um aspecto curioso em que estou a reparar há algum tempo:
Tenho, a 19 de Março, 97 seguidores do meu blogue, como se pode ver na coluna da esquerda.
E a curiosidade é: quem virá a ser o seguidor nº 100?
 

Bem, hoje, dia 20 de Março, apareceu mais um seguidor, o 98º, chamado João Soares (não é o político em que estão a pensar, digo isto porque, embora nunca antes tivesse visto este, na foto em que aparece no painel de seguidores vê-se que usa bigode). E, conforme a velha frase popular, há muitas Marias na Terra, só que há umas que têm bigode, e outras não :-)

Grande surpresa! Hoje estamos a 22, é 2ª feira, e cá está o "seguidor" nº 100. E, para um número especial, alguém especial (na área da BD, claro): Nuno Saraiva, grande ilustrador de BD!
Saravá, caro Nuno, fico honrado com a tua presença! Conta-me: estavas a seguir esta minha conversa acerca de ter quase 100 seguidores, ou foi por acaso? Grande abraço!

6 comentários:

mmmnnnrrrg disse...

é por isso que as imagens de Lisboa estão rídiculas no mínimo... não conheço nenhuma parte de Lisboa com três linhas de eléctrico...
livro horrível, diga-se!
M

João Figueiredo disse...

mmmnnnrrrg deixa-me que te diga, mas não concordo minimamente com o que tu dizes. Na minha opinião, e vale o que vale, o livro é dos melhores que em Portugal já se fizeram, em termos de arte final, paginação, cores, etc etc. O argumento é muito bom, a história está muito bem contada e é bastante interessante, dando-nos a entender que existe uma Lisboa misteriosa, os desenhos são, no mínimo, bons.
Depois, não conheces nenhuma parte de Lisboa com três linhas de eléctrico e, diga-se, cada vez menos vais poder conhecer, pois um bom transporte público tem sido desactivado ao longo dos tempos. Existem apenas duas linhas de eléctrico a funcionar, se não me engano, e existem única e exclusivamente para o turismo. As imagens às quais te referes são do elevador da Bica, não são de um eléctrico. E é certo que não estão fidedignas, e nem têm que estar. Mais a mais porque, como os autores assumem, não foi feita reperage, coisa que não se repetirá no próximo volume. Eles são argentinos, quem desenhou e coloriu, e com pouco conhecimento da cidade, fizeram uma obra impar. As imagens do Terreiro do Paço e da zona da Sé provam isso. Não acho que estejam ridiculas, estão bastante realistas, na minha opinião. Sendo Lisboeta, consigo perceber perfeitamente que zona da cidade é. Não sei então a que Lisboa te referes. Obviamente que não são as melhores representações de Lisboa.....mas são bastante boas.
E em relação ao livro ser horrivel, adjectivo que é, no mínimo, injusto, eu considero-o, a par com o "BRK" ou "A Essência", do melhor que tem sido feito ultimamente em BD no nosso país.

mmmnnnrrrg disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
mmmnnnrrrg disse...

a cor é horrorosa, os desenhos idem... o argumento são meia-dúzia de clichés bem seleccionados, apenas isso.
como lisboeta não há uma única vinheta que me identifique. as do terreiro do paço são postais ilustrados, e o mesmo poderia ter sido feito de outras partes da cidade se não tivessem sido preguiçosos.
os eléctricos existem e recomendam-se, usadas por pessoas da cidade e não por turistas.
Se o "BRK" ou "A Essência" são as melhores coisas que o João Figueiredo conhece, nada mais comento...

João Figueiredo disse...

O elevador da bica tem três "linhas"....não me perguntem o funcionamento ou porque é que é assim. Não me parece que faça muito sentido existirem três conjuntos de linha, mas que existem, é um facto e o desenho, postal ilustrado ou não, está muito perto da realidade e, para mim, está muito bem desenhado, pintado e está realista e percebe-se qual é a parte de Lisboa retrada.
Encontram-se aqui belas imagens do elevador.
http://www.travel-in-portugal.com/photos/img714.htm

mmmnnnrrrg disse...

sim são 3 linhas em conjunto por isso nada haver com o que foi desenhado - muito mal desenhado: largura errada para além de que os prédios parecem tirados de Amsterdão ou Madrid ou Liége...
horrível!