sexta-feira, novembro 12, 2010

Exposições BD avulsas (III)







A obra em álbum Odivelas em Banda Desenhada deu origem à exposição de BD sob o título "Odivelas Um Concelho Com História", patente num espaço baptizado, com originalidade, de Átrio de Exposições, no edifício da Junta de Freguesia da Pontinha.
Inaugurada no passado dia 2 do corrente Novembro, estará visitável até ao próximo dia 26, no citado espaço, com horário de funcionamento até às 17h30.
A exposição integra a banda desenhada completa, vinte e quatro pranchas originais - não cópias ou reproduções digitais, como agora começa a ser usual - pintadas a lápis de cor (algo pouco visto na BD portuguesa), tantas quantas compõem o álbum, editado em Novembro de 2000 pela Comissão Instaladora do Município de Odivelas.
A banda desenhada tem por autor gráfico Paulo Rijo (Paulo Jorge Ferreira Rijo), distinguido com o 1º Prémio do Concurso de Banda Desenhada do Festival Internacional de BD da Amadora/1999.
O argumento é da autoria de Maria Máxima Vaz, licenciada em História e com Mestrado em História Contemporânea, daí o rigor que emerge do texto. Com início na descrição dos povos nómadas que povoaram, há cerca de 500.000 anos, o território do actual concelho de Odivelas, acompanhamos pela banda desenhada a vida desses habitantes primevos que construiram dólmens ou antas, de que ainda existem vestígios, como acontece com a anta das Pedras Grandes (bairro do Casal Novo) e anta das Batalhas (próxima da Ponte da Bica) ambas monumentos nacionais por decreto-lei de 27 de Março de 1944 (a BD pode ter finalidades didácticas, é o caso).
As imagens e a leitura das legendas fazem-nos ir avançando no tempo: passamos pelas lutas das populações autóctones contra os romanos - de cuja presença na região há vestígios comprovativos -, encontramo-nos com a figura majestosa do rei D. Dinis, primeiro monarca nascido em Lisboa,visitamos o singular monumento do "Senhor Roubado", uma narrativa sequencial em doze painéis de azulejos, que conta a profanação e roubo na Igreja Matriz de Odivelas, pelo que o presumível autor foi supliciado e enforcado, cenas que igualmente constam da peça - muito danificada, infelizmente -, que existe ao fundo da calçada de Carriche, entrada do concelho de Odivelas.
Abarcando todos os episódios relatados, a banda desenhada e, por conseguinte, a exposição, isso faz com que o evento apresente motivos de interesse para a população local, mas também para aqueles bedéfilos que, tal como este escriba/bloguista, gostam de acompanhar e apoiar as iniciativas que tenham por fulcro a Banda Desenhada.
Um pormenor a finalizar: as pranchas da BD, pertença da Câmara Municipal de Odivelas, foram cedidas por esta autarquia à Junta de Freguesia da Pontinha, pertencente àquele concelho.
.
Imagens no topo da postagem (de cima para baixo):
1 - A prancha inicial introduzindo o visionador no ambiente primitivo dos povos nómadas que viveram no território hoje constitutivo do Concelho de Odivelas
2 - Imagem idealizada e algo destoante das lutas dos povos autóctones que lutaram contra os romanos (aquele cavaleiro com franja à príncipe Valente, vale apenas pela dinâmica...)
3 - A figura imaginária do rei D. Diniz, e o mosteiro que mandou construir em Odivelas para as freiras da Ordem de Cister
4 - Recriação em desenho dos painéis em azulejo referentes ao monumento do "Senhor Roubado"
5 - Recriação em desenho dos painéis em azulejo referentes ao monumento do "Senhor Roubado"

------------------------------------------------
Os leitores da presente postagem interessados em ver as duas anteriores dedicadas ao mesmo tema podem fazê-lo clicando na etiqueta "Exposições BD avulsas" colocada no rodapé

4 comentários:

Paulo Marques disse...

Viva Lino! :)

Pela qualidade das pranchas, essa será sem dúvida uma exposição a merecer uma visita! De realçar também a pintura a lápis de cor, um facto que como muito bem referiste, invulgar, mas que acabou por resultar bastante bem, criando uma obra de características muito peculiares!

Um Grande Abraço!

Anónimo disse...

É uma exposição a visitar.
Apenas acrescento que os quadros têm estado patentes em exposição nas escolas do Concelho. Ao longo destes 11 anos de existência de Odivelas com personalidade jurídica própria, esta tem sido a forma consensualmente mais atraente de contar a história de uma região rica em todos os tipos de património: do rural ao urbano, do etnográfico ao arqueológico, do arquitectónico ao imaterial. O Município de Odivelas também a disponibiliza a quem a solicitar.
Um grande abraço a Paulo Marques.
Um grande abraço a Geraldes Lino!
Miguel Ferreira

Geraldes Lino disse...

Viva Marques
Pelo menos a qualquer apreciador de BD, a exposição merece de facto uma visita, logo, uma deslocação propositada à Pontinha, mesmo que, tal como me aconteceu, tenha de andar a perguntar onde fica a sua Junta de Freguesia.
Abraço.
GL

Geraldes Lino disse...

Tive conhecimento da exposição por duas vias, sendo que a primeira foi algo evasiva, mas como da segunda vez o amigo que me disse, embora alertasse para o facto de ser uma mostra muito simples, mas acrescentasse que valia a pena, por isso resolvi lá ir.
Como criei recentemente no meu blogue a rubrica "Exposições avulsas" (ou seja, nela não cabem as que integram, por exemplo, o Festival da Amadora) esta encaixou-se ali na perfeição.
Uma grande abraço a Miguel Ferreira.