domingo, maio 04, 2008

Tertúlia BD de Lisboa - XXII Ano - 284º Encontro

Intensa dinâmica e violência a explodir aos olhos do visionador, aí está o resultado visual de uma das pranchas desenhadas por Filipe Teixeira para a obra C.A.O.S.
Filipe Teixeira vai ser o CONVIDADO ESPECIAL da Tertúlia BD de Lisboa, no próximo dia 6 de Maio, primeira 3ª feira do mês, como sempre acontece há vinte e dois anos.
--------------------------------------------------
Filipe de Sousa Teixeira nasceu em Lisboa a 22 de Novembro de 1980.
Tem como habilitações literárias o Curso Superior de Design Gráfico, obtido no IADE.
Até agora, a sua obra mais importante intitula-se C.A.O.S., de que foi o desenhador, embora se trate de um trabalho de equipa, com Fernando Dordio a escrever o argumento (e suponho que a transformá-lo no guião), Carlos Geraldes a executar a colorização e Mário Freitas encarregado da legendagem e revisão ortográfica. A banda desenhada teve edição em 2007 dividida em três partes (livro um, livro dois, livro três) publicadas em outros tantos tomos sob aquele título, num total de 76 pranchas, extensão invulgar na actual BD portuguesa.
Também já colaborou como arte-finalista com Pedro Potier, numa banda desenhada produzida para a revista brasileira Quebra Queixos.
No que se refere a exposições, participou no FIBDA - Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora, em 2006 e 2007, com pranchas da banda desenhada C.A.O.S.
Justamente para o momento do incentivo público que vai receber na Tertúlia BD de Lisboa, o novel autor desenhou e arte-finalizou a bd "O Último Resistente do Parque Mayer", sob argumento e legendagem de Mário Freitas, para o fanzine Tertúlia BDzine (nº 125, 6 Maio 08).

10 comentários:

Santos Costa disse...

Caro Lino
Não tenho dado notícias, apenas recebo "notificações" tuas, via telemóvel, atempadamente, antes das tertúlias na primeira "terça" de cada mês (às quais, em abono da verdade, eu sou o maior relapso)e que tens, com todo o denodo, continuado sem esmorecimentos.
Imagino o que farias, se soubesses (quisesses) desenhar! Quantos álbuns não terias publicado e quantos não teria eu o prazer de coleccionar!
Mas, enfim!... És um excelente escritor, dominas - como poucos - a língua lusa e fazes mais pela BD do que muitos ilustradores e argumentistas alguma vez almejaram.
Olha, hoje venho fazer-te um pedido, de modo que divulgues pela malta do desenho o desafio que lhes coloco para desenharem, cada um, uma ilustração de "Os Lusíadas".
O caso prende-se com uma ideia, que pus em prática, de proporcionar a cópia da obra de Camões, manuscrita por 1.102 portugueses (cada um sua estrofe) e 100 ilustrações (estas com inteira liberdade de escolha). Porém, o original encontra-se na Biblioteca Municipal de Trancoso, onde decorre a experiência beneditina; o que posso prometer, àqueles que queiram contribuir, é o pagamento das viagens e a estadia.

Um abraço
Santos Costa

Geraldes Lino disse...

Caro Costa
Retribuo-te o elogio, visto que tens obra vasta e não afrouxas a pedalada, quer ao nível de realizações literárias e artísticas, quer na área das iniciativas culturais.
Claro que o que me pedes (ilustrações) não está propriamente dentro da minha área que é, sempre foi e será a banda desenhada.
Entretanto, gostaria de ter mais detalhes para, pessoalmente (de boca a orelha, como soe dizer-se) transmitir a todos os meus amigos, e conhecidos, autores de BD (afinal de contas, ílustradores) poder incitá-los a colaborarem. Mas para isso necessito saber pormenores da tua iniciativa: qual o formato exigido para as ilustrações, se são a preto-e-branco ou a cores, se cada desenhador pode participar com mais do que uma ilustração, qual o prazo de entrega e, já agora, se o trabalho é pago, e quanto é que vale cada ilustração.

Santos Costa disse...

Amigo Lino

Esta campanha de "angariação" de ilustradores é feita segundo um critério de participação graciosa, uma vez que a iniciativa não visa fins lucrativos e comerciais e a obra, depois de concluída, será depositada na Biblioteca Nacional, após as eventuais reproduções que possam ser requeridas por outros arquivos.
Todavia, sabendo eu que ninguém "vive do ar" e o "tempo é dinheiro", estarei disponível, através da empresa municipal de que sou administrador, para ajustar o valor do trabalho, caso a caso, sem romper em demasia o critério ante.
Sobre o trabalho, posso esclarecer: cada desenhador pode participar com mais do que uma ilustração; a ilustração será a cores (guache ou aguarela ou material equiparado) sobre base de papel branco de 150 gr.; o formato é escolhido pelo artista, desde que respeite a mancha de uma ou duas colunas da página (o livro possui o formato de 50 x 35 cm).
Há, porém, um pormenor: como são folhas de grande formato, soltas, onde cada manuscrevente (dir-se-á assim?) completará os oito versos de cada estrofe, há dificuldade em enviar estes suportes via postal. Não afasto a ideia de o fazer, embora preferisse que o desenhador se deslocasse até esta bela cidade-fortaleza e apreciasse a sua beleza medieval.
Aqueles que queiram participar - e perdoa-me utilizar o teu blog para esta promoção - poderão contactar-me através do correio electrónico:
tegec-santoscosta@mail.telepac.pt

Esta iniciativa pretende envolver as figuras públicas nacionais (Presidente da República, Presidente da A. da República, Primeiro-Ministro, etc.) através da cópia manuscrita de uma estrofe para cada um.
É evidente que não lhes pedirei qualquer ilustração a eles - excepção, ao que julgo, do Presidente do Tribunal de Contas, que sabe desenhar e que sonha fazer uma BD.

Um grande abraço de gratidão

Santos Costa

Zeldrak disse...

Caro Lino, daqui André Reis. Li o comentário que o Sr.Costa deixou aqui nesta entrada do blogue e posso dizer que posso ajudar a passar a palavra se for necessário tal.Estarei com certeza presente amanhã na Tertúlia, juntamente com os meus colegas. :)

Rodrigo disse...

A que horas começa o pessoal a chegar à tertúlia? Das vezes que eu fui, sempre que chego já encontro aquilo cheio de gente. Quero ir hoje, mas se calhar terei de sair um pouco mais cedo, por isso talvez fosse bom ser um dos primeiros a chegar...

Abraços e até logo

Geraldes Lino disse...

Amigo Costa
Uma forma de optimizar o espaço dos comentários é exactamente a que acabas de fazer.
Aproveito para te apresentar aos visitantes: Santos Costa é um autor de banda desenhada, ilustrador e escritor, além de ter passado a administrador de uma empresa municipal. E, pelo que se vê, está a trabalhar em prol da arte do desenho. Só lamento que apenas esteja a contemplar a ilustração, deixando a BD de fora. Fica para a próxima, quiçá, não é, Santos Costa?

Geraldes Lino disse...

Caro Reis
Acho muito bem que passe palavra. As condições e as finalidades estão bem descritas pelo organizador, o autor de BD, Santos Costa.

Geraldes Lino disse...

Viva Rodrigo
A Tertúlia BD de Lisboa inicia SEMPRE o encontro às 20h00, e termina às 23h00. Se chegar mais tarde, lá pelas oito e meia, um quarto para as dez, já encontra muitos tertulianos sentados nas mesas mais centrais. O que não é totalmente mau para si, assim você tem de se sentar junto de diferentes pessoas. E uma das finalidades da TBDL é fazer com que o pequeno mundo da BD portuguesa se conheça melhor.

Geraldes Lino disse...

Rodrigo
Claro que queria dizer "oito e meia, um quarto para as nove". Até logo, às 8 da noite.

Rodrigo disse...

À oito tou lá. E levo um pequeno tesouro para o sorteio ;)