terça-feira, dezembro 23, 2008

Língua portuguesa em mau estado (XVIIII) - "Epá" é brasileirismo, "Eh pá" é a forma portuguesa

O uso na escrita das legendas da banda desenhada e do cartune, do brasileirismo Epá, é cada vez mais frequente. 

Já o tenho visto várias vezes, já o tinha detectado na excelente série "Bartoon", voltou a deparar-se-me a mesma incorrecção hoje, 23 Dezembro 08, naquele cartune diário.

Por conseguinte, o uso despropositado da expressão brasileira acontece aqui pela 2ª vez, significando isso que o categorizado cartunista seu autor costuma ver cartunes e quadrinhos brasileiros...

Não tenho nada contra ler-se/ver-se trabalhos originários do Brasil. O que não posso concordar (e por isso protesto, mesmo que o meu amigo cartunista não ligue), é que se usem - na banda desenhada ou no cartune - expressões da variante portuguesa do Brasil quando haja expressões ou formas ortográficas correspondentes no português de Portugal.


Por mero acaso, ainda ontem tinha estado a falar com o meu amigo argumentista que escreveu quatro episódios para quatro desenhadores diferentes, destinados ao meu fanzine Tertúlia BDzine, exactamente a chamar-lhe a atenção para a existência de idêntica opção de grafia, como se pode ver na imagem de baixo.
Na imagem de cima pode ver-se a mesma prancha, mas já com a correcção efectuada Eh pá  em vez de Epá, tal como aparecerá na página inicial do fanzine).



Prancha da bd autoconclusiva "A Culpa é do Instinto", cujo texto foi escrito por um novo e prolífico argumentista, e passada a imagens sequenciais por um, também, jovem desenhador.
Substituir "Epá", forma de escrever brasileira que se encontra com frequência nas revistas de "histórias em quadrinhos", como se diz no Brasil (e que, cada vez de forma mais recorrente, encontro na BD e nos cartunes), pela forma tradicional portuguesa "Eh pá", foi o meu pedido, aceite com desportivismo.
............................................................................
Esta banda desenhada vai ser publicada no fanzine Tertúlia BDzine nº 136, de 6 Jan. 2009, que será distribuído na sessão da Tertúlia BD de Lisboa naquele mesmo dia.
...........................................................................
Nota: Mais uma vez esclareço que apenas corrijo os erros ou meras incorrecções (como é o caso presente) com repetição sistemática, que se percebe estarem a espalhar-se, tipo vírus...
............................................................

Há várias postagens anteriores acerca deste tema que envolve o meu apreço pela língua portuguesa, incidindo nos erros ortográficos e gramaticais que, repetitivamente, vão sendo cometidos na banda desenhada, no "cartoon", nos fanzines e na internet.

Para visitar todos os "posts" e assim poder analisar erros e respectivas correcções, basta ir à parte de baixo desta postagem e clicar na frase "Língua portuguesa em mau estado", ou neste mesmo item na coluna da esquerda onde se lê "Categorias".

(XVII) Nov. 16 - "Cartoonista"? E também pode ser "Footebolista"?
(XVI) Jul. 4 - Triologia???
(XV) Jun. 19 - Tijela???
(XIV) Jun. 6 - Expanção???
2008

(XIII) Dez. 14 - Fanzine, sinónimo de "acto de simpatia"? Absurdo
2007

(XII) Ag. 6 - "Páro" (??)
(XI) Jun. 23 -"Ter-mos"(??) in Korrigans, de Civiello e Mosdi
(X) Maio 29 - A BD não "teve"(??) representada (texto no site da Marinha Mercante
(IX) Abril 15 -"Alcançar-mos"(??), in fanzine Venham+ 5
(VIII) Março 10 -"se não poderem"(??), in Príncipe Valente, edição de Manuel Caldas
(VII) Fev. 22 -"Univos"(??), in "cartoon" no suplemento "Inimigo Público"
(VI) Jan. 16 -"»Uma«(??) fanzine", no fanzine "Aqui no canto"
(V) Jan. 7 -"Inflacção"(??), in "cartoon" no Jornal de Notícias
2006

(IV) Dez. 11-"Benvindos"(??), in bd "Família Slacqç, na revista Visão (de BD)
(III) Nov. 28 -"Gingeira"(??), in "cartoon" de "Avis Rara" no jornal Alentejo Popular
(II) Nov. 12 - "pareçe"(??),"esqueçendo"(??), escrito por visitante do blogue "Kuentro"
(I)Out. 27-"vê-mo-nos"(??), in legenda do 1º volume de "O Pequeno Nemo no Reino dos Sonhos", a versão portuguesa da obra-prima de Winsor MCCay
2005

6 comentários:

João Neves disse...

Eu gabo-lhe a paciência e o esforço (inglório?) de levar a muitos o que todos já deviam saber... Mas como já dizia o Dr. José Pedro Machado (S.L.P.) estamos a ser devorados a todos os níveis pela cultura e maneira de ser do Brasil... E entre muitas outras coisas também só temos 5% da população que eles têm... A coisa está "preta" (brasil.). Quando adaptava os textos da Walt Disney Portuguesa da versão português do brasil para português de portugal/europa fiz uma lista superior a centena e meia de expressões/palavras, mas onde estão elas agora? Já estou farto de me apalpar e nunca mais as descobri... Levaram-mas, tirara-mas, ofereci-as? Sei que tirei cópias e, depois de ter falado com o Dr. José Neves Henriques da Soc. de Líng. Portugesa, enviei-as a algumas editoras, nomeadamente à Meribérica, porque já tinha escritórios no Brasil. Mas como na altura havia uma Senhora que não me gramava a trabalhar por aquelas bandas (com medo que eu ficasse com o trabalho todo daquela editora) é bem possível que as tenham encaminhado para a papeleira com ligação directa à casa de banho... O "bartoon", para mim já não é novidade: o seu autor, até pela responsabilidade que tem e pelas mensagens que divulga diariamente, devia - se tivesse o sentido de responsabilidade - contratar alguém que lhe fizesse uma revisão aos textos. Como aqui nesta terra quem tem olho é rei, os autores com algum sucesso e projecção podem fazer todas as espécies de disparates - ninguém lhes diz nada! E é aqui que entra um SENHOR, que há muitos anos anda a batalhar (ingloriamente?) nestas coisas e que ainda tem uma paciência do caraças para levar o barco a bom porto... Obrigado, GERALDES LINO!

Felippe disse...

Perdão, mas aqui no Brasil não usamos esta expressão ("Epá"). Existe uma semelhante, "epa", que é pronunciada "êpa".

Geraldes Lino disse...

Caro Felippe
De facto, alguns portugueses que escrevem, de vez em quando, Epá (em vez de "É pá" ou "Eh pá", forma tradicional no português de Portugal), embora estejam a copiar a forma de escrever essa expressão dos brasileiros, dão-lhes um toque da pronúncia portuguesa, em que nós abrimos as duas vogais [épá], enquanto que vocês as fecham, escrevendo, edizendo, suponho, [Êpâ].
Agradeço-lhe a participação.
Abraço.
GL

Geraldes Lino disse...

Olá João Neves
O autor do "Bartoon", que você sabe chamar-se Luís Afonso,até escreve correctamente, de uma maneira geral, as legendas dos cartunes dele (que eu considero mais bandas desenhadas do que cartunes, visto terem sequencialidade, enquanto que o verdadeiro "cartoon" é mais tipo "one shot").
Mas usou desta vez aquela expressão "Epá" influenciada na "Epa" dos brasileiros, coisa que também já vi fazer a alguns jovens autores de banda desenhada.
É pá (Ô cara), nós, portugueses, somos facilmente permeáveis às expressões de outros povos, se calhar é por isso que somos tão poliglotas...

tikka masala disse...

Estava eu à procura da grafia correta da expressão quando deparei com este blogue. Muito bom esclarecimento, Lino! Obrigada ;) (Sara Leite)

Geraldes Lino disse...

Viva, Sara Leite

Só agora dei pela existência deste seu comentário. Ainda bem que este "post" (postagem?)lhe foi útil (até teve a participação de um brasileiro!).
Também já a tenho ouvido na Antena 2 no programa sobre Língua Portuguesa.
Abraço.