sábado, agosto 15, 2009

Livros s/ Banda Desenhada - Os meus livros (V) - Krazy! The Delirious World of (...) Comics

Capa da obra Krazy! The Delirius World of Anime+Comics+Video Games+Art
Autor da ilustração: Daniel Clowes
----------------------------------------------------------------------------------
COMICS
Textos biográficos escritos por Seth e Art Spiegelman
Neste capítulo dedicado à BD, estão biografados, e devidamente representados por reproduções de pranchas de obras suas, os seguintes autores/artistas:
George Herriman, Harvey Kurtzman, Justin Green, Jerry Moriarty, Lynda Barry, Chris Ware, Kevin Huizenga, Seth
Prancha da série Krazy Kat, da autoria de George Herriman
Corpse on the Imjin, por Harvey Kutzman
Binky Brown meets the Holy Virgin Mary, pelo artista/"pecador" Justin Green
Mais uma prancha do artista excepcional Justin Green, na obra acima citada
Um autor/artista que me fascina é Chris Ware. Reproduzo apenas duas pranchas demonstrativas do seu singular talento, retiradas da obra Thanksgiving
------------------------------------------------------------------------------------
"GRAPHIC NOVELS" (as aspas foram postas pelos próprios articulistas)
Artigos escritos por Art Spiegelman e Seth
Curiosamente, as novelas gráficas estão separadas da Banda Desenhada (ou Comics), tratadas à parte neste capítulo, em que estão biografados os seguintes autores/artistas:
Milt Gross, Philip Guston, Art Spiegelman, Kim Deitch, Daniel Clowes, Chester Brown, Alison Bechdel, Shaun Tan
--------------------------------------------------------------------------------
ANIMATED CARTOONS
Textos biográficos escritos por Tim Johnson.
São por ele apresentados os seguintes cineastas realizadores de animated cartoons, ou seja, desenhos animados:
Winsor McCay, Lotte Reiniger, Ben Sharpsteen, Robert Cannon, Marv Newland, Nick Park, John Lasseter, Tim Johnson, Karey Kirkpatrick
Gertie the Dinosaur foi, na opinião de vários estudiosos, a primeira personagem dos desenhos animados (arte posteriormente baptizada por cinema de animação). O seu criador foi o notável artista, autor da personagem "Little Nemo" na Banda Desenhada, Winsor McCay
Uma storyboard (*) seguida das imagens finais do filme realizado pelo ilustrador e cineasta Nick Park, com o título de The Wrong Trousers
(*) Os jovens portugueses da BD gostam muito de dizer que fizeram uma storyboard para uma banda desenhada, talvez porque a expressão é mais sonante do que layout, que é a palavra inglesa aplicável à BD, sendo storyboard para os filmes. Pelo menos é assim que os ingleses, os inventores destas palavras, as definem.
-----------------------------------------------------------------------------
ANIME (pronuncie-se [animê]
Tema desenvolvido por Toshiya Ueno e Kiyoshi Kusumi
Estão representados neste capítulo, dedicado ao animê, os seguintes autores/cineastas:
Ichiro Itano, Katsuhiro Otomo, Mamoru Oshi, Yoko Kanno, Masaaki Yuhasa, Makoto Shinkai, Satoshi Kon
Imagens do filme japonês de animação intitulado Paprika, de Satoshi Kon
-----------------------------------------------------------------------------
MANGA (pronuncie-se [mangá])
Capítulo escrito por Kiyoshi Kusumi e Toshiya Ueno
Autores/Artistas representados neste capítulo:
Hisashi Eguchi, Mamoru Nagano, Taiyo Matsumoto, Junko Mizuno, Takashi Okazaki, Moyoco Anno, Yuichi Yokoyama,Hitoshi Odajima

Prancha de Taiyo Matsumoto
--------------------------------------------------------------------------------
VISUAL ART
Artigo escrito por Bruce Grenville
Artistas apresentados neste capítulo:
Roy Lichtenstein, Claes Oldenburg, Marcel Broodthaers, Raymond Pettibon, Pierre Huyghe, Philippe Parreno, Cao Fei, Chiho Aoshima, Christian Marclay, MT
Pintura de Roy Lichtenstein "Vicki! I...I Thought I Heard Your Voice! (1964)
Composição de Christian Marclay, intitulada Onomatopeia 2006 - Artigo de Bruce Grenville

Tenho bem mais do que uma centena de livros sobre Banda Desenhada, entre enciclopédias, dicionários, monografias, Histórias da BD, ensaios de crítica, estudos acerca de temas diversos, livros sobre técnicas gráficas e linguagem da banda desenhada, e de ensinar a fazer (como se escreve um argumento, como se passa a guião, como se desenha), livros de estudo sobre personagens e séries, uma infinidade de temas.
Todavia, estou agora a escrever apenas pela 5ª vez acerca de um dos meus livros. Isto devido ao facto de focar numerosos outros temas, provocando a situação de vários deles ficarem sem ser mexidos bastante tempo, como, por exemplo, tem acontecido com esta rubrica.
E surge uma outra situação, algo injusta: acabo por me decidir a escrever sobre um livro que comprei a semana passada, que foi editado o ano passado, quando em casa tenho muito bons livros, alguns já com razoável antiguidade (30 anos, por exemplo, é uma boa idade para um livro), de que gosto, mas que vão ficando à espera de oportunidade de que eu fale deles.
É a vida... Até os livros são vítimas de injustiça!
Mas vamos lá consumá-la, os meus caros visitantes do blogue a interessar-se (eventualmente) por um livro editado em 2008, e eu a passá-lo à frente dos tais outros que me olham com algum azedume do alto das prateleiras.
Falo então da minha mais recente aquisição livresca, feita numa livraria antiga, mas que mudou recentemente de poiso - a Buchholz - e que localizei, por mero acaso, no Largo Rafael Bordalo Pinheiro, Lisboa, sua nova morada.
Claro que a minha curiosidade inicial foi ver onde é que os livros e/ou álbuns de BD estavam colocados. E nessa rápida "vista de olhos" (que frase tão curiosa esta que agora me ocorreu) , dei com eles num livro volumoso, este Krazy! que, de imediato, me interessou, pelo conteúdo e pelo excelente aspecto gráfico.
-------------------------------------------------
Krazy! The Delirious World of Anime+Comics+Video Games Art
Autor: Bruce Grenville et al (Tim Johnson, Kiyoshi Kusum, Seth, Art Spiegelman, Toshiya Ueno and Will Wright
Edição de University of California Press (www.ucpress.edu)

e
Vancouver Artgallery (www.vanartgallery..bc.ca)
Impresso e encadernado no Canadá, em papel isento de ácido
Dim. 18,3x25cm alt.
Capa e contracapa a cores + 276 págs. com reproduções a p/b e em quadricromia
Data da edição: 2008
--------------------------------------------------
Na listagem abaixo indicada podem ver-se quais os livros e autores registados anteriormente.
Mas para os ver, será necessário clicar no item Livros sobre Banda Desenhada, inserida no rodapé do presente "post".

(IV) - Dez. 22 - Foster e Val - por Manuel Caldas

(III) - Dez. 21 - Foster e Val - Os trabalhos e os dias do Criador de Prince Valiant, por Manuel Caldas

(II) -Junho 9 - Dicionário Zinho-Autor: A.J.Ferreira

2006

(I) - Set. 29 - Roteiro Breve da BD em Portugal-Autor: Carlos Pessoa

2005 (daqui para cima)

10 comentários:

teresa disse...

fala-se muito no little nemo do windsor
mas nunca vejo ninguem falar do lyonel feininger e das suas incriveis personagens e um talento que nada tem de delicodoce , a guilde du livre editou-o há 20 anos atrás em tamanho A3 ,tens por acaso esse livro? se tiveres mostra-o aqui, eu já tive esse livro

estou a gostar de ver esta tua partilha livresca

vá lá ,näo leves täo a peito ninharias como salsichas e mostarda

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...viñetas
llenas
de ingenio
dando
vida
al
medio
con
la
sensacion
de
verse
dentro
con
ellas...


desde mis--- horas rotas---

te sigo divulgando banda desenhada . comparto tu blog
y con un fuerte abrazo .repleto
de historias e imaginacion siempre...


afectuosamente:banda desenhada

jose
ramon...

Geraldes Lino disse...

Teresa Câmara Pestana
Tens razão no que dizes.
Ambos - Winsor Mc Cay e Lyonel (ou Lionel) Feininger - são autores/artistas geniais, que, nas suas obras, elevam a Banda Desenhada ao mais alto nível artístico.
Tenho um livro editado pelo [americano] Smithsonian Institute, com reproduções de obras de BD que constituem o acervo daquela notável instituição, onde Lyonel Feininger está incluído, começando pela própria capa do livro.
Infelizmente, o formato enorme do livro (A2) dificulta a reprodução. Mas talvez arranje solução, quando voltar a Lisboa (estou no Algarve até ao fim do mês).

Geraldes Lino disse...

Caro Amigo [desconhecido] José Ramon Santana Vazquez
Agradeço as tuas bonitas palavras, que não sei onde são escritas (Espanha, provavelmente, mas onde?), cheias de afecto e cumplicidade, pelo amor que ambos temos a esta arte.
Grande abraço.
GL

gambuzina disse...

saiu uma monografia sobre lyonel feiniger em alemäo que se pode adquirir pela www.zweitausendeins.de
nascido de musicos alemäes em nova york
ele manteve uma ligacäo com a alemanha
e fez parte da berliner secession

Geraldes Lino disse...

Teresa
Obgdo pela informação, mas o meu domínio do alemão é reduzido (com a agravante de nunca mais ter praticado o pouco que aprendi na minha passagem incompleta por Filologia Germânica).
Aí está uma tarefa boa para ti: traduzires para português esse livro, e fazeres uma curta edição depois de saberes quantos compradores haveria para uma edição artesanal (mas com boa qualidade, como costumam ser as tuas edições).

teresa disse...

agrrrrrrradecida mas já tenho bastantes tarefas sem futuro , a parte gráfica e de tal maneira choruda que da para" ver só os bonecos "

Gabriel Batista disse...

http://esateca.blogspot.com/2010/03/banda-desenhada-anos-30-na-be.html

Falei com a Dr. Laura Ribeiro e disse-me que talvez gostasse.
Resolvi enviar-lhe algumas imagens.
Um abraço.

Geraldes Lino disse...

Caro amigo desconhecido Jose Ramon
Une-nos o mesmo entusiasmo pelas imagens sequenciais, dentro ou fora de vinhetas, a cores ou a preto e branco...
Abraço.

Geraldes Lino disse...

Caro desconhecido Gabriel Batista
Gostei de tomar conhecimento, por seu intermédio, dessa iniciativa dlevada a efeito pela Biblioteca da Escola Secundária de Albufeira, embora tenha ficado com a sensação de que o "post" no blogue terá ficado muito incompleto, no que se refere às imagens, que apenas mostram duas bandas desenhadas, e ambas de autores espanhois.
Então e a BD portuguesa, dos anos 30, 40, 50, e por aí fora, não teve direito a nenhuma imagem?
De qualquer forma, fiquei com interesse em ver a exposição.
Pode dizer-me, concretamente, qual a data limite em que estará visitável?
Cordialmente