terça-feira, agosto 10, 2010

21º Concurso de Banda Desenhada do Festival BD da Amadora (Regulamento)


Nos regulamentos dos concursos de banda desenhada, todos os pormenores são importantes, mas há uns mais importantes do que outros...
Vejamos então alguns dos itens que merecem especial destaque:

- Tema do concurso: A REPÚBLICA

- Passa a haver um escalão A+ para concorrentes com idade igual ou superior a 31 anos (*)

- 15 de Setembro de 2010, às 17hoo, eis os limites, data e hora, para a recepção das obras concorrentes pela entidade organizadora, a dupla CMA-CNBDI

- Prémios:
ESCALÃO A+ (o tal para Maiores de 31 anos) - Prémio Único:
€ 1.000.00

ESCALÃO A (dos 17 aos 30 anos)
1º Prémio - €1.000.00
2º ....."..... - € 750.00
3º .... "..... - € 600.00

ESCALÃO B (dos 12 aos 16 anos)
1º Prémio - € 750.00
2º ....."..... - € 600.00
3º ....."..... - € 500.00

- Cada banda desenhada tem de ser constituída por 4 pranchas originais e inéditas, a preto e branco ou a cores, em formato A4 ou A3 (atenção: as pranchas têm de ser numeradas, e identificadas com o pseudónimo e o escalão a que pertencem, no verso)

- Os autores têm de fazer duas fotocópias de cada prancha, ficando uma em seu poder e enviando a outra juntamente com o original.

- Os textos, nos casos em que as bandas desenhadas os tenham, devem ser apresentados em português (com excepção para eventuais onomatopeias) quer pelos concorrentes portugueses, quer pelos estrangeiros(*) (as bedês mudas não estão abrangidas, está claro).

- As obras concorrentes devem ser enviadas para (ou entregues directamente, nos dias úteis, entre as 10h00 e as 17h00) o seguinte endereço:

21º Concurso de BD - Tema: "A República"
Amadora BD - Festival Internacional de Banda Desenhada
CMA/CNBDI - Av.do Brasil, 52-A
2700-134 AMADORA
No mesmo envelope em que enviarem as 4 pranchas, acompanhadas de um conjunto de quatro fotocópias, os concorrentes têm de enviar:
- A ficha de inscrição devidamente preenchida;
- Fotocópia do Bilhete de Identidade;
- Fotocópia do Cartão de Número de Identificação Fiscal (NIF, vulgo Cartão de Contribuinte)

Estas oito alíneas (que escrevi por ordem aleatória), são as fundamentais para os concorrentes.

(*) O regulamento é omisso no que se refere à participação de concorrentes de outros países, mas aqui nesta alínea depreende-se que os estrangeiros podem concorrer.
Eu sei de talentosos autores estrangeiros, que vivem em Portugal, e têm algumas bandas desenhadas cá editadas. Estou a lembrar-me de dois: um deles, alemão, chama-se Axel Blotevogel, que vive na Lousã e tem colaborado no fanzine Gambuzine (Alô Axel!), o outro é o franco-brasileiro Alan Voss, que também vive cá e fez umas bandas desenhadas publicitárias (Alô Voss!). Ambos podem participar no escalão A+

Aposto que esta abertura vai proporcionar surpresas!

Ficha de Inscrição


Esta ficha de inscrição pode ser ampliada, copiada e usada para ser enviada em conjunto com as pranchas de BD a concurso
---------------------------------------------------------------

Há mais uns tantos pormenores a ter em conta, mas que são conhecidos dos que já alguma vez participaram num qualquer concurso de BD.

Um exemplo, algo importante, tem a ver com aqueles concorrentes que formam equipa (um argumentista com um desenhador). Nesse caso, na questão da idade que conta para o escalão em que são inseridos é a do elemento mais velho,

(*) MENSAGEM PARA OS MENOS JOVENS

Pela primeira vez - honra lhes seja feita pela inovação! - os organizadores do concurso de BD integrado no Festival da Amadora resolveram alargar o âmbito etário, e, como já ficou descrito nos pontos que transcrevi do regulamento, criaram uma nova categoria que abrange todos os interessados a partir da idade de 31 anos: a do Escalão A+

Esta abertura aos maiores de 31 anos no Escalão A+ tem uma limitação, para a qual o meu amigo Álvaro me chama a atenção:

Só pode concorrer quem não tiver BD já publicada em álbum, bem como quem nunca tenha sido premiado em concurso do Festival da Amadora.

Anteriormente ("post" de Out. 15, 2009), em relação a um concurso organizado pelo jornal açoriano Avenida Marginal, avisei os veteranos - o argumentista Bongop, por exemplo - de que havia finalmente uma oportunidade criada por aquele jornal.

Aqui está agora nova oportunidade para uns tantos. Estou a lembrar-me dos seguintes nomes, ao acaso, que, todos eles, penso já terem mais de 31 anos (alguns bastantes mais, mas o regulamento não põe limites à idade, apenas a quem já tenha álbum publicado)

JCoelho, Pedro Alves, Mota, Gastão Travado, Pedro Nora, João Lam, Pedro Morais, Paulo Monteiro, Alex Esgaio, André Ruivo, Alex Gaspar, Antero Valério, Luís Alvoeiro, Penim Loureiro, Paulo Goulão, Filipe Goulão, Vasco Colombo, Derradé, Ana Cortesão, Falcato, Phermad, Luís Belerique, Miguel Montenegro, Potier, Irene Trigo, Agonia Sampaio, João Sequeira, Daniel Maia, José Lopes, Carlos Sêco, Ricardo Blanco, José Feitor, Pedro Pinto, José Manuel Saraiva, Marco Mendes, Nazaré Álvares, Daniel Lima, Paulo Pinto, Esgar Acelerado, João Maio Pinto, Machado-Dias, Ana Maria Baptista, André Oliveira, Pedro Castro, Zé Francisco, Luís Guerreiro, Maria João Careto, Pilar, Pedro Zamith, Carlos Zíngaro, Zepe, Pedro Manaças, Marc Figueiredo, Mariana Perry, Sónia Carmo... São tantos! Peço desculpa àqueles cujos nomes não estejam aqui (excepto aqueles que já têm obra editada em álbum) estou pronto a preencher qualquer lacuna que os interessados detectem...
---------------------------------------------------------------
Quem estiver interessado em ver postagens anteriores, inclusive um artigo meu intitulado "Concursos de banda desenhada - Subsídios para um estudo", faça o favor de clicar no item "Concursos de Banda Desenhada" alojado no rodapé deste "post".

25 comentários:

teresa disse...

boa dica, sabes que na alemanha os republicanos säo de direita

Ricardo Baptista disse...

Um escalão A+! Até que enfim! Embora tenha menos de 30 anos nunca compreendi esta atitude do limite de idade.

Geraldes Lino disse...

Há ligeiras diferenças na posição dos partidos no espectro político, em que a sua nomenclatura varia e não se conjuga com os de outros países.
Mas isso não invalida que se posicionem à esquerda ou à direita, como tu própria acabas de esclarecer, embora contrarie a tua teoria de que já não há esquerda e direita, assunto que anteriormente discutimos por sms.

Geraldes Lino disse...

Desconhecido Ricardo Baptista
Uma razão implícita é a de incentivar os mais novos.
Mas se clicar no item "Concursos de Banda Desenhada" que aparece no rodapé do "post", irá ver um extenso panorama de concursos de BD ou mistos, realizados em Portugal ao longo dos tempos, e encontrará entre eles vários que também eliminam essa barreira, facto a que tenho dado bastante relevo, tal como agora fiz.
E mais: além de publicitar esse pormenor aqui no blogue, aviso muita gente por sms (visto que tenho o contacto de dezenas de autores de BD).
Saudações bedéfilas.
GL

teresa disse...

se o concurso tivesse um verdadeiro cariz internacional , näo teria como tema a républica...

Geraldes Lino disse...

Este concurso nunca se apresentou como tendo cariz internacional, o que acontece é que há estrangeiros a viver em Portugal que podem estar interessados.
Mas o concurso é essencialmente para portugueses, como é óbvio, e o tema "A República" vem a propósito dos 100 anos passados sobre a sua implantação em Portugal.

teresa disse...

säo estes temas super interessantes que fazem as lusas actividades bedéfilas um bocejo pegado

Ricardo Baptista disse...

Os temas em si não são interessantes, são até previsíveis (especialmente estes dois últimos), o interessante é ver o que um autor pode fazer com essa limitação.

teresa disse...

isso é verdade, fazer limonada é importante , mas näo deixa de ser verdade que os temas säo sempre chatos

Geraldes Lino disse...

Além de que o concurso vai agora na sua 21ª edição, portanto houve necessidade de criar 21 temas (contando com o deste ano).
Já fiz parte do júri umas 7 ou 8 vezes, e sei que, de quando em quando, os temas têm algum interesse, mas concordo que na sua maioria têm escassa capacidade de entusiasmar os potenciais concorrentes.
Todavia, como diz o Ricardo Baptista, com bom sentido de análise, embora por vezes os temas sejam "previsíveis", como é o caso do deste ano (lá se vai cair na BD de índole histórica, digo eu), "o que é interessante é ver o que um autor pode fazer com essa limitação".

Um aparte: você, Ricardo Baptista, já alguma vez participou num concurso de BD?

Ricardo Baptista disse...

Nunca participei, não por falta de vontade, falta-me o planeamento e/ou a espontaneidade para fazer uma banda desenhada.

teresa disse...

mas pk é que os temas teem de ser täo chatos? já näo é martirío bastante fazer bd em portugal ainda temos de levar com xaropadas históricas? se fosse pelo dinheiro ninguem aqui (pt) fazia bd

Alvaro disse...

ATENÇÃO!

O escalão A+ tem um limite que podem ver aqui: http://www.amadorabd.com/pdf/NormasConcursosBDCartoon2010.pdf
e que é este:
Escalão A+ - a partir dos 31 anos (sem BDs publicadas em álbum e que nunca tenham sido
premiados pelo Amadora BD).

Geraldes Lino disse...

Teresa
Da maneira como falas, parece que todos os temas deste concurso são sempre chatos. Lembras-te dos 20 temas anteriores?

Geraldes Lino disse...

Obrigado, Álvaro, pela chamada de atenção. Vou já acrescentar esse pormenor.

teresa disse...

lembro-me ferpeitamente...(pior só mesmo os temas de moura bd)

um fanalbum é considerado album?
ou estäo a falar em albuns editados por verdadeiras editoras?

a republica tb pode ser uma puta fina que só anda com banqueiros ou tem de ser uma senhora histórica histérica rodeada de cromos republicanos ?
nos adultos podemos por sexo e violencia ou tem de ser bd visível por gente de 7 anos ?

Alvaro disse...

Presumo que as BDs a concurso vão ser expostas no Núcleo central do Festival, no Fórum Luís de Camões na Brandoa, e vistas por crianças dos 7 aos 77. Aproximadamente.

Apesar de a violência ser vista diariamente nos desenhos animados e as imagens de sexo serem facilmente acessíveis na Internet, convém não pôr sexo porque é prejudicial às cabeças das crianças ou pode chocá-las e provocar-lhes ainda mais problemas mentais que os seus equilibrados pais lhes provocarão ao longo das suas vidas.

A violência, mesmo a gratuita sob qualquer pretexto, já não provoca distúrbios de maior na psique dos futuros adultos. Podes pôr.

Isto é baseado no senso comum do qual as cabeças muito bem pensantes se riem mas que acabam por seguir. Por distracção, talvez. Não lhe chamarei hipocrisia...

E quanto à figura da República, sim.
Se eu participasse era provável que eu representasse a tal senhora mamalhuda como uma miserável puta.
E totalmente rodeada pelos seus filhos sedentos de mama.

Mas duvido que fosse por aí por duas razões.
Não levaria qualquer prémio com uma BD dessas (e a cheta faz muita falta) e ocorrer-me-iam outras ideias melhores, mais corrosivas e mais subtis sem grandes problemas.

Geraldes Lino disse...

Se um magazine editado por um fã (fan) é um fanzine, um álbum editado por um fã é um fanálbum (trata-se de um neologismo criado por mim há uns anos, que muita gente já está a usar).
Portanto, Teresa, em resposta à tua pergunta, sim, um fanálbum é um álbum, embora editado por um fã, isto é, por um amador, não por uma editora profissional/comercial.
É apenas essa a diferença.

Geraldes Lino disse...

quanto à tua outra pergunta, se a república tb pode ser uma puta fina q só anda c banqueiros, sim, claro, e a democracia portuguesa nestes últimos tempos de crise tb anda enrolada com eles

Geraldes Lino disse...

Sexo e violência?
Sim, vocês, autores, podem pôr desses ingredientes à vontade nas vossas bedês, o único problema é que o júri, composto por pessoas não ligadas ao CNBDI (o Pedro Moura, por exemplo, também já lá esteve), podem não votar nelas, porque não é por terem sexo e violência que passam a ser as melhores.

teresa disse...

a implantacäo da républica foi uma coisa suave? isenta de violencia? ou foi uma suave mutacäo para näo dar espaco à carbonária? uma modernice para os anarquistas näo terem um só alvo a abater e ficarem confusos com a mamalhuda e retirarem-se para planearem outros golpes? o fim da monarquia europeia era inevitável pois a consaguiniedade produziu uma data de anormais e os reis ocupados quee stavam com as suas próprias demencias e dos seus filhotes näo tinham tempo para gerir países ...
o sexo näo é mais nem menos que todos os outros temas; faz simplesmente parte da vida

ana luisa disse...

a propósito, alguém me sabe dizer quais alguns dos nomes que irão estar presentes no amadora Bd 2010?gostava de saber se aparecerá alguém da marvel como no ano passado ( Cebulski)....e podiam divulgar estas coisas menos em cima da hora, há gente ( como eu) que é de longe e há coisas a programar numa ida ao Amadora Bd, por isso era bom que fossem libertando notícias...

Johnny disse...

Não falta por acaso enviar tambem uma fotocópia do registo criminal?

teresa disse...

para os prémios zé pacóvio e grilinho, vulgo prémio fanzinista querem que uma pessoa envie 6 exemplares...
6
a troco de que?
desperdicío de pequena manufactura literária para termos uma nota de rodapé nas páginas mais esconsas de um jornal? ? uma ou duas tabuletas de barro? mais palmadinhas nas costas?
para que é que isso serve?
depois de ter ganho 2 prémios na amadora percebi que prefiro ter 6 leitores novos a um prémio com nome idiota..
acho que deviam perceber que os fanzinistas precisam é de reais incentivos e näo palmadinhas condescendentes

Geraldes Lino disse...

Cara desconhecida Ana Luísa
Pela parte que me toca, ainda não faço ideia de quais os autores estrangeiros que estarão presentes no Festival BD da Amadora.
Se calhar, nem o sabe ainda, na totalidade, a própria entidade organizadora. o CNBDI-Centro Nacional de Banda Desenhada e Imagem (Amadora).
Será pelo facto de os contactos com alguns dos autores se arrastarem, devido a nem sempre os ditos saberem da sua disponibilidade à data do festival, que essa lista não é disponibilizada tão cedo quanto a Ana Luísa desejaria.
Mas com certeza que, noutros blogues mais virados para dar novidades (não é muito o caso deste "divulgandobd", talvez mais o "kuentro") poderá ter informações com alguma antecedência, em princípios de Outubro, por exemplo.