quarta-feira, setembro 11, 2013

Curtas de BD (Autores portugueses - X) - Carlos Barradas



Os estilos, grafismos e temas das bandas desenhadas que surgiram na revista de BD Visão, editada em Lisboa em meados da década de setenta do século passado, nada tinham a ver com a BD tradicional portuguesa, nem com a dos super-heróis, tampouco com as séries europeias de aventuras ou com as personagens humorísticas muito frequentes na BD franco-belga.

Um exemplo do que se passava na inovadora Visão (*) está aqui à vista: uma bd curta de Carlos Barradas, com o título "Viver Não Custa..."

Admito que talvez me tenha lembrado desta bd, cujo tema é o vampirismo, pelo facto de hoje, 11 de Setembro, se iniciar o MOTELx - Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa na sua 7ª edição, no lisboeta cinema S.Jorge.

 (*) Nº3, de 1 de Maio de 1975
------------------------------------------------------------------------------------
Os interessados em ver as nove postagens anteriores deste tema, poderão facilmente fazê-lo clicando no item Curtas de BD (Autores portugueses), visível no rodapé.

16 comentários:

santos costa disse...

Caro Lino

A revista "Visão" era daquelas que nunca devia ter deixado de existir. Fosse Portugal um país onde os seus leitores respeitassem mais os autores nacionais - ou, pelo menos, os respeitassem tanto como o fazem com os estrangeiros - a "visão" da BD portuguesa seria feita lá do alto, com panorama em horizonte vasto e promissor para os seus autores e divulgadores.
Não quero dizer com isto que não haja autores estrangeiros com qualidade, que há; quero apenas chamar a atenção para o caso apurado, a contrariar o axioma: os santos da porta continuam a não fazer milagres.

Um abraço

Loot disse...

ahah gostei muito desta BD, tanto o desenho como o humor, fantástico.

abraço

Geraldes Lino disse...

Pois é, caro Costa. Eu diria que gostamos pouco de nós próprios, por isso depreciamos tudo o que fazemos.
E, o que é pior, quando alguém se consegue evidenciar, há de imediato a tendência para o deitar abaixo, escrutinando-lhe os defeitos e arrasando-lhe as qualidades.

Desde longa data que defendo uma teoria: somos assim, nada solidários, porque somos restos de vários povos que por cá passaram ou que cá viveram - lusitanos, romanos, alanos, suevos, vândalos, árabes e judeus, e que eram mais inimigos do que amigos uns dos outros.

Geraldes Lino disse...

Não poderia esperar de si, Loot, diferente reacção a esta bd, considerando que você foi o argumentista da curta "Cabaret Monstra", que publiquei aqui no blogue, nesta mesma rubrica, no "post" de Julho 21, 2011.

Abraço.

santos costa disse...

Concordo contigo, Lino. Somos uma mistura, tipo caldeirada, de povos aparecidos aqui com razões meramente dominadoras e nada pacíficas. Porém, pelo que hoje se vê por aí, em maioria, nesta barbárie de "bota abaixo", são os "vândalos", não na raça, mas na força pejorativa do vocábulo.

Abraço
Santos Costa

mario santos disse...

Boa tarde a todos,existe algum local onde puderei ver esta revista ,já ouvi falar tantas vezes dela e tem de facto um imaginário gráfico marcante mas nunca a vi.

Existe algum local que puderei comprar algum numero a um preço acessivel em Lisboa?

Geraldes Lino disse...

Caro visitante Mário Santos

Para começar poderei dizer-lhe que poderá ver algumas bandas desenhadas, diversas capas da revista "Visão" e várias entrevistas com autores de BD que nela colaboraram (e fotos deles) neste mesmo blogue.

Bastar-lhe-á ir à coluna "Etiquetas" e clicar no item "Visão - revista portuguesa de banda desenhada (1975/76)".

Quanto a conseguir comprar alguns exemplares, ou até, se tiver sorte, a colecção completa, o processo é o habitual para encontrar revistas antigas: ir procurar nos alfarrabistas (de Lisboa ou do Porto, o que for mais próximo para si), ou na Feira da Ladra (Lisboa), ou na Feira de Vandôma (no Porto).

Se me der o seu contacto (ou nº de telemóvel, ou e-mail, ou endereço físico, se não quiser divulgar publicamente os dois anteriores) poderei combinar consigo e mostrar-lhe a minha colecção.

Cordialmente,


Cereals For Lunch disse...

Sr. Lino,

Sou o criador da webcomic Cereals For Lunch e gostava de saber o que acha desta.

Gostava também de aproveitar para agradecer o seu serviço à BD em Portugal com este blog.

Cumprimentos,
João

mario santos disse...

Obrigado pela informação,até agora só encontrei um local mas pediam-me 4 € por número, e foi o unico que conheço,já estive na feira da ladra mas durante algum tempo andava a procura de tintin e selecções bd que encontrei por 1 ou 2 € em bom estado.

Se voltar a não encontrar terei o prazer de ver a sua colecção.

Geraldes Lino disse...

João [Valadão]

Visitei o seu "site" www.cerealsforlunch.com

Uma tira de bd publicada com regularidade impressionante, desde 1 de Fevereiro de 2010, merece muita consideração.

Geraldes Lino disse...

João [Valadão]

Visitei o seu "site" www.cerealsforlunch.com

Uma tira de bd publicada com regularidade impressionante, desde 1 de Fevereiro de 2010, merece muita consideração.

mario santos disse...

No número 1 quantas páginas aparecem de eternus 9 de victor mesquita

Cereals For Lunch disse...

Sr. Lino,

Obrigado pela sua resposta.
Gostaria de contactá-lo directamente para falar sobre BD, mas não encontro nenhuma forma de o fazer no blog.
Se estiver disposto, por favor contacte-me (cerealsforlunch@gmail.com)

Cumprimentos,
João

Geraldes Lino disse...

Três páginas

Geraldes Lino disse...

Caro João Valadão

Tomei nota do seu e-mail.

Saudações,
GL

Geraldes Lino disse...

Caro João Valadão

Tomei nota do seu e-mail.

Saudações,
GL