segunda-feira, setembro 02, 2013

Tertúlia BD de Lisboa




Nem só os desenhadores/autores de BD têm direito a ser Convidados Especiais da Tertúlia BD de Lisboa. Desta vez, no seu 351º Encontro, estará presente um argumentista/guionista de banda desenhada - por conseguinte, também é autor de BD -, de nome Gabriel Martins, que já escreveu argumentos para curtas de BD desenhadas por Hugo Teixeira, Rui Alex e Fil.

Episodicamente, colaborou num programa de rádio, o "Cartaz Daire", na Rádio Limite de Viseu, onde, a convite de Tadeu Almeida daquele posto emissor, falou de BD em data recente, comentando duas novidades editoriais: "Anos Dourados", de Marco Mendes, e "Polarity", de Jorge Coelho e Max Bemis. 

Ilustrações da postagem:  

1. Prancha da bd intitulada "Ano 3500", da autoria de Rui Alex, desenho, e Gabriel Martins, argumento;

2 e 3 - Autobiografia de Gabriel Martins, Convidado Especial da TBDL
-----------------------------------------------------------------------------------------------------


Lista de presenças, elaborada "a posteriori", neste 351º Encontro da TBDL


1. Álvaro
2. Ana Saúde
3. Ana Vidazinha
4. André Oliveira
5. António Isidro
6. Carlos Moreno
7. Cristina Costa Amaral
8. FIL
9. Gabriel Martins (Convidado Especial)
10. Hugo Teixeira
11. Inês Ramos
12. João Amaral
13. João Tércio
14. João Vidigal
15. Luís Graça
16. Miguel Falcato
17. Nuno Duarte ("Outro" Nuno Duarte)
18. Pedro Bouça
19. Pedro Vieira
20. Rui Domingues
21. Sá Chaves
22. Victor Jesus



-----------------------------------------------------------------------------------------------------

Como há ainda quem não se tenha apercebido da passagem de testemunho que se verificou em Junho deste ano de 2013, de mim para o quarteto Álvaro, Inês, Isidro e Moreno, no que concerne à realização mensal da Tertúlia BD de Lisboa, aqui fica mais uma vez essa informação. 
Ou seja: a partir de Junho, inclusive, deixei de ter qualquer actividade na organização da TBDL (aliás,para ser mais explícito, não voltei a estar presente nos encontros a partir de Junho, não por ter havido qualquer desentendimento, apenas porque decidi afastar-me, a fim de afrouxar a minha actividade na BD).
A parte da elaboração do programa, com o texto da autobiografia do Convidado Especial, é agora da responsabilidade do Álvaro; o "Comic Jam" do mês passado soube no Sábado  que quem fez os  convites aos autores participantes foi a Inês Ramos. Também, desde Agosto, está a ser da responsabilidade do Álvaro a escolha dos "Convidados Especiais". O Moreno é o responsável pela efectivação do "Sorteio Interactivo de BD", e o Isidro está ali para substituir algum ausente por férias ou outra qualquer impossibilidade.
---------------------------------------------------------------------------------------------------------
Os visitantes interessados em ver as anteriores postagens deste tema poderão fazê-lo clicando no item Tertúlia BD de Lisboa incluído em rodapé 

10 comentários:

santos costa disse...

Olá, Geraldes Lino

Sobre esta Tertúlia, tão grata de recordações para ti e para tantos outros (quase todos, pois três centenas e meia é muita gente), só tenho de dizer bem; não só pela oportunidade, como pela persistência, pela organização e pela pertinência de convívios que este iniciativa congrega.
Tenho reparado que os convites, à guisa de bio-bibliografia, são agora redigidos pelos próprios convidados, concedendo a estes uma maior comparticipação no projecto mensal, dizendo o que lhes vai na alma e no currículo, no alvedrio literário de exporem a sua obra e o seu talento, sejam eles desenhadores, argumentistas ou divulgadores.
Sobre o caso presente, porém, quero fazer-te uma pergunta (só respondes, se quiseres):
és tu que fazes a revisão dos textos destes convites, nos pormenores de linguagem, ortografia e pontuação, designadamente no que toca ao que hoje apresentas?

Abraço
Santos Costa

Alvaro disse...

Nope. As gralhas que passaram foram da minha responsabilidade.
Vamos ver se tais lapsos não se repetem.

...muitas vezes. :)

Abraços.

Loot disse...

Aconteceu tudo muito rápido como estive de férias, devia ter tido mais atenção ao redigir o texto, mas de desculpas está o inferno cheio.

Aparte quaisquer erros tive lapsos, esqueci-me de referir o nome do Tadeu Almeida, um dos locutores do programa cartaz daire e quem me convidou.

Aproveito também para dizer que essa participação foi só uma vez e não algo contínuo, peço desculpa por não me ter explicado melhor.

De resto um muito obrigado pelo convite. A quem for lá nos encontraremos amanhã.

Gabriel

tadeu disse...

ola!
em meu nome e do Francisco Favinha, expresso aqui o quão lisonjeado ficamos com esta nota.
tal foi possível porque o convidado da vez, tem na escrita a arte do detalhe e da paixão em escrever e passar a mensagem. por sua voz no éter, só veio dar razão ao convite endereçado :)
que seja uma noite deveras agradável para todos, em especial para o Gabriel :)
cumprimentos,
Tadeu Almeida

tadeu disse...

ah...de Castro Daire e sim, uma participação. para já... ;)

Geraldes Lino disse...

Viva, Santos Costa

O Álvaro já respondeu à tua observação, assumindo a responsabilidade das gralhas que se possam detectar nos textos publicados nos programas da Tertúlia BD de Lisboa, a partir de Julho inclusive.

Mas para esclarecer melhor quem ainda não se tenha apercebido de "quem é quem" na nova fase desta associação informal, acrescentei agora um texto repetindo o que já escrevi outras vezes.

Se por acaso ainda não tiveres lido o que escrevi como despedida, faz-me o favor de ires à coluna "Etiquetas" aqui no blogue, clica no item "Tertúlia BD de Lisboa", terás, de imediato, acesso a todos os "posts" deste tema, e em Julho poderás ler um texto com a minha despedida da TBDL.

Daí em diante, nunca mais mexi em nada da tertúlia, não tenho tendência para o paternalismo.

Todavia, estranho que tenhas posto a hipótese de eu ter deixado passar alguns erros.

Com certeza que já tens lido umas tantas postagens do "Divulgando Banda Desenhada", nunca terás encontrados erros (ter-me-ias dito); e não é por acaso que faço revisões ortográficas.

Até à laia de desafio, mas também um pouco por brincadeira, costumo dizer que pago um jantar a quem encontre algum erro ortográfico nos meus textos aqui no blogue.

(Atenção: há quem não saiba que uma simples troca de letra, ou letra a menos ou a mais - provocado em geral pela rapidez na teclagem - constitui o que se classifica de "gralha", que não é o mesmo que um erro ortográfico, gramatical).

O que não é o teu caso, obviamente.

Grande abraço,
GL

Alvaro disse...

Holhem as oras...
Voçês não dormem?

santos costa disse...

Caríssimo Geraldes Lino

Como sabes, eu sou uma espécie de escorpião da escrita: quando há onde ferrar, ferro; quando não há, ferro em mim o aguilhão.
Pois bem, tanto o Álvaro como o Gabriel, já justificaram (e bem) os óbices relativos ao texto. Muitas vezes - e isso acontece-me, mormente nestas pequenas caixas de comentários - escrevemos ao correr do pensamento, esquecendo-nos que os dedos não têm olhos e não revêem sem o comando do cérebro. No entanto, a nós, autores da BD, cabe-nos a responsabilidade de deixarmos a escrita ao nível dos próceres da literatura, porque a BD também tem literatura, ainda que condicionada ao espaço e à imagem, que complementa.
Ninguém está incólume relativamente a gralhas ou a pontuação anquilosada, cujos sinais gráficos estão fora do sítio ou sem estarem no sítio. Eu que o diga, com livros já publicados onde, para desespero meu, as gralhas se mostram após a obra impressa, como se estivessem em defeso da caça, sem a possibilidade de as abatermos.
Devemos, no entanto, considerar que a Bd é o conjunto de texto e desenho e que um não está em patamar superior ao outro (a não ser que o desenho dispense o texto), pois, caso contrário, aqueles que menosprezam esta forma de comunicar e de entreter têm margem de manobra para nos relegarem para o gueto dos autores de obras menores, que nunca fomos.
Aproveito o ensejo para aqui o dizer, como já o fiz noutro espaço, que a última obra do Álvaro - o "Balcão Trauma" - é aquilo que eu considero "cinco estrelas": em humor; em crítica social; em pertinência; em valor de conjunto entre o texto e o desenho, sendo este último aparentemente simples (só aparentemente, porque tem muita arte por trás).
Aproveito também para dizer que te respondi ao comentário do dia 14 de Maio. Lê-o, porque tem lá mais uma das minhas ideias malucas.

Um abraço para ti, outro para o Álvaro e outro para o Gabriel, com os votos sinceros de uma boa Tertúlia

Santos Costa

Alvaro disse...

Santos Costa, agradeço as palavras relativas ao meu trabalho.

Outro abraço.

Geraldes Lino disse...

Caro Amigo Santos Costa

Já fui ver a caixa de comentários anexa ao "post" de 14 de Maio, no teu blogue "Bandarra Bandurra". Deixei lá resposta.
Grande abraço,
GL