quarta-feira, fevereiro 07, 2007

BD portuguesa em jornais (LI) - Mundo Universitário - Autor(a): Nazaré Alvares

"Despedida", episódio concebido ficcionalmente e realizado por Nazaré Alvares

in semanário Mundo Universitário - nº56, 5 Fev 07

Conheci esta artista, natural de Montalegre (Set. 65), mas estudante e residente no Porto, há cerca de vinte anos, em Lisboa.
Aconteceu o encontro no momento da entrega do prémio, relativo a um dos vários concursos de BD organizados pelo, na época, bem activo CPBD - Clube Português de Banda Desenhada, de que eu tinha feito parte do júri.
Foi primeira classificada, no escalão principal, a então jovem desconhecida Nazaré Alvares, estudante de Pintura nas Belas Artes da cidade onde rsidia.
Voltou à capital, anos mais tarde, para ser a Convidada Especial da Tertúlia BD de Lisboa.
Sempre tendo na memória o seu talento, e sabendo que, além de professora, é também pintora, resolvi desafiá-la para voltar - nem que seja esporadicamente - à BD, tendo ela aceite o desafio.
O resultado aí está, feito com sensibilidade e elegância.

4 comentários:

Carlos Rico disse...

Olá Lino:
Não sei se estás a pensar colocar uma biografia um pouco mais completa da autora ou se, de facto, são estas as únicas incursões da Nazaré Alvares no mundo da BD. Se é este o caso, é uma pena porque a autora tem potencialidades enormes! Gostei, especialmente, do traço e da composição. Quanto ao texto, não posso comentar porque não conheço a história completa.
Espero que a Nazaré (apesar de todos sabermos que as perspectivas de um autor português de BD poder viver apenas desta arte serem praticamente nulas) não deixe, pelo menos de quando em vez, de criar BD com esta qualidade.
Uma palavra de apreço ao MU, por apostar nesta forma de arte, e outra para ti, que também "tens culpas no cartório"...
Abraço

Carlos Rico disse...

Correcção: no segundo parágrafo onde se lê "serem" deve ler-se "são".
Já agora, aproveito para informar que no sábado, dia 10, pelas 16:00 horas, vai ter lugar na Casa do Alentejo a apresentação pública do álbum de tiras RIbanho. Quem puder e quiser estar presente, será bem-vindo.
Abraço

Geraldes Lino disse...

De facto o jornal Mundo Universitário está a ter um papel extremamente positivo na divulgação da BD portuguesa. Só t5erei de inverter as tuas palavras: quando dizes que também tenho culpas no cartório, devo esclarecer que fui eu quem convenceu os responsáveis do MU a publicarem BD, não foram eles que me propuseram a ideia...
Quanto a colocar biografia da Nazaré Álvares: de todas os autores que convidei para colaborar no MU, foi a primeira vez que me ocorreu pôr pequeno texto acerca do autor, e nem sequer é biográfico, tem mais a ver com factores transversais, como seja, nos casos de Marco Mendes e Nazaré Álvares, a forma como os conheci. Quando estava a escrever essas notas, ocorreu-me também acrescentar algumas curtas notas biográficas, mas nestes casos - e como faço estes textos geralmente de improviso - não estava preparado para isso.
Talvez o passe a fazer futuramente, ainda não sei se isso terá interesse para a maioria dos visitantes.

Carlos Rico disse...

Olá Lino:
Quando eu disse que "tú tens culpas no cartório" referia-me, precisamente, ao facto de teres sido tú quem propôs ao MU a inclusão de BD nas suas páginas (daí o seres, também, um grande "culpado", se não mesmo o maior, pela oportunidade que a Nazaré e outros jovens autores BD estão a ter de publicarem no MU). Eu sabia isto porque julgo que já tinhas falado no assunto num dos primeiros "posts" relacionados com o MU (ou então tinhas-me dito pessoalmente, não sei).
Quanto às biografias, não sei a opinião dos outros visitantes mas julgo que teria interesse colocares, nem que fossem só umas pequenas notas (como fizeste com a Nazaré Alvares). Para além de que seria, certamente, agradável para os autores verem a sua biografia no blogue. Sei que estás sempre ocupado com a BD (tertúlias, blogues, fanzines, textos, etc, etc, etc) e a hipótese de colocares as biografias obrigar-te-á a mais trabalho mas julgo que valia a pena.
Grande abraço